20:11 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)
    7424
    Nos siga no

    O presidente venezuelano criticou a postura de Jair Bolsonaro, afirmando que o chefe de Estado brasileiro está mais agressivo, e disse que, contra a COVID-19, é preciso colocar as diferenças ideológicas de lado.

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que, com a saída de Donald Trump da Casa Branca, o Brasil é o novo centro do "trumpismo" no mundo. Para o líder venezuelano, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, está mais "agressivo" e "ameaçador" com a imprensa e a população.

    "Trump agora se foi. Agora o centro do trumpismo no mundo é o Brasil, é Jair Bolsonaro. Eu o vejo [Bolsonaro] e o escuto todos os dias. Ele está pior, mais agressivo, contra a imprensa, contra o povo, mais ameaçador, mas irascível, negacionista", afirmou Maduro em entrevista ao portal Opera Mundi, exibida nesta segunda-feira (1º).

    O mandatário também falou sobre o envio de oxigênio da Venezuela ao estado brasileiro do Amazonas, que sofreu com a falta de respiradores para tratar pacientes diagnosticados com a COVID-19. Para Maduro, era uma obrigação ajudar.

    Parentes de pacientes hospitalizados compram cilindros de oxigênio em Manaus, 18 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Bruno Kelly
    Parentes de pacientes hospitalizados compram cilindros de oxigênio em Manaus, 18 de janeiro de 2021

    "É preciso pôr essas coisas ideológicas de lado, essa luta ideológica entre o Trump do Brasil, Jair Bolsonaro, e nós, a esquerda. No momento, temos que colocar o ser humano no centro, salvar a vida do ser humano", disse.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)

    Mais:

    UE confirma que já não considera mais Guaidó presidente interino da Venezuela
    Cinco melhores forças aéreas da América Latina: de Venezuela ao Brasil
    Maduro fala em 'virar a página para construir novos caminhos' na relação com os EUA
    Tags:
    Amazonas, Brasil, Venezuela, pandemia, crise, novo coronavírus, COVID-19, Jair Bolsonaro, Nicolas Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar