07:04 17 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    170
    Nos siga no

    O farmacêutico que tentou sabotar quase 600 doses da vacina da Moderna do Aurora Medical Center, no estado norte-americano de Wisconsin, se declarou culpado.

    O farmacêutico norte-americano Steven Brandenburg, de 46 anos, se declarou culpado por ter destruído centenas de doses da vacina da Moderna, segundo comunicado do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

    Brandenburg afirmou ser cético em relação às vacinas em geral, e à vacina da Moderna especialmente. As crenças sobre vacinas já vinham sendo propagadas por Brandenburg aos seus colegas de trabalho há pelo menos dois anos.

    Por cada uma das duas acusações, o farmacêutico pode receber até dez anos de prisão.

    "Farmacêuticos estão entre os profissionais mais confiáveis", afirmou o agente especial Robert Hughes do Departamento Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) de Milwaukee encarregado pelo caso. "Este indivíduo usou seu acesso especial para mexer nos frascos da vacina tão necessária contra COVID-19."

    Em 31 de dezembro de 2020, a Polícia de Wisconsin prendeu o farmacêutico por destruir intencionalmente mais de 500 doses da vacina da Moderna contra o novo coronavírus. O preço do lote destruído da vacina vale de US$ 8 mil a 11 mil (de R$ 44 mil a 60 mil).

    O farmacêutico Brandenburg passou dois turnos noturnos tirando frascos da vacina do refrigerador. As vacinas da Moderna podem ser danificadas se não forem armazenadas corretamente, a uma temperatura muito baixa.

    Depois de algumas horas, o criminoso colocou os frascos de volta no refrigerador para serem usados no dia seguinte para vacinação. Pelo menos 57 pessoas receberam uma dose da vacina do lote danificado.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    Reveladas diferenças entre anticorpos após infecção pela COVID-19 e após vacinação
    Apelo para que Brasil e Índia produzam vacinas contra COVID-19 é muito interessante, afirma analista
    Vacinação em massa no Brasil: 'Nossa situação atual é de dependência', diz especialista
    Reino Unido ultrapassa 100.000 mortes por COVID-19
    Tags:
    vacinação, vacina, novo coronavírus, vírus, pandemia, COVID-19, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar