22:04 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 92
    Nos siga no

    Apesar de Donald Trump ter descumprido várias tradições protocolares após perder presidência para o democrata Joe Biden, uma delas foi cumprida: deixar um "presente" para o seu sucessor na Sala Oval.

    Judd Deere, subsecretário de imprensa da administração Biden, não revelou à mídia o conteúdo da mensagem deixada por Trump, sublinhando que a comunicação entre presidentes é privada. Até Joe Biden confirmou que o republicano escreveu "uma carta muito generosa", mas não quis revelar os detalhes da mesma "até que falasse" com Trump.

    Uma vez que a existência da misteriosa carta chegou aos ouvidos do público, várias teorias sobre o seu conteúdo têm surgido e circulado na web.

    Querido Joe, os códigos nucleares não funcionam (foi o que me disseram). E usamos todo o alvejante. Lamento.

    Outro internauta expressou uma leve esperança de que Trump tenha apoiado seu sucessor e oferecido ajuda, mesmo acreditando que isso seja "esperar demais".

    Por sua vez, outro usuário do Twitter destacou que o fato de o ex-presidente ter deixado a Biden "um país despedaçado" é mais significativo do que deixar uma carta.

    Penso que Trump ter deixado a Biden um país despedaçado é mais significativo do que lhe deixar uma carta.

    Trump negou vitória de Biden até o último momento, e não mencionou o nome do democrata em seu discurso de despedida. De igual modo, também não compareceu à cerimônia de posse do novo presidente na quarta-feira (20), como também não o convidou previamente a entrar na Casa Branca para uma reunião, quebrando, assim, uma tradição de mais de um século.

    Mais:

    Senado dos EUA aprova Avril Haines como diretora de Inteligência Nacional
    Companhia aérea de Taiwan envia alerta após aproximação perigosa de aeronave da Força Aérea dos EUA
    Maduro pede a Biden que retifique 'demonização' que EUA têm feito da Venezuela
    Tags:
    carta, Donald Trump, Joe Biden, Casa Branca, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar