04:59 06 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3393
    Nos siga no

    Como já havia antecipado durante a campanha, o novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou seus primeiros decretos após tomar posse e colocou novamente os EUA no Acordo de Paris e na Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Ao todo, Biden assinou 15 atos executivos já nesta quarta-feira (20). Grande parte deles revertendo medidas que foram tomadas por seu antecessor, o republicano Donald Trump.

    Entre as medidas estão o fim do veto à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA, a paralisação da construção do muro na fronteira com o México e a determinação de obrigar que funcionários públicos do governo e terceirizados cumpram o distanciamento social e o uso de máscaras em prédios e áreas federais. As informações foram publicadas pela agência Reuters.

    Durante a assinatura, Biden comentou que o ex-presidente Trump deixou uma carta "muito generosa" para ele no Salão Oval, mantendo uma tradição entre presidentes e seus sucessores.

    "Porque era particular, não falarei sobre ela até que converse com ele, mas era muito generosa", afirmou.

    Joe Biden, de 78 anos, tomou posse nesta quarta-feira (20) como o 46º presidente dos Estados Unidos.

    Biden venceu as eleições em 7 de novembro com ampla maioria dos votos: foram 306 votos eleitorais contra 232 de Donald Trump.

    Mais:

    China pede revisão de relatórios da OMS que indicam seu atraso na resposta inicial à COVID-19
    China aplica sanções contra 28 cidadãos dos EUA, incluindo Mike Pompeo
    Evo Morales alfineta Biden e diz que ele terá 'desafio histórico' de reverter políticas de Trump
    COVID-19 nos EUA perdeu 'componente político' após eleições, diz chefe da AmCham na Rússia
    Tags:
    Donald Trump, Muro na fronteira dos EUA e México, Acordo de Paris, Organização Mundial da Saúde (OMS), decretos, Joe Biden, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar