04:50 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)
    0 40
    Nos siga no

    A secretária de imprensa do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, disse nesta segunda-feira (18) que o novo governo não pretende retirar as restrições de viagens internacionais ao país. 

    Por meio do Twitter, Jen Psaki afirmou que a administração Biden "não pretende suspender" no dia 26 de janeiro os bloqueios impostos a algumas nações. Ela citou o "agravamento da pandemia" e o surgimento de "variantes contagiosas" para justificar que não era o "momento" de retirar "as restrições". 

    A porta-voz disse ainda que, na realidade, o governo Biden pretende "fortalecer as medidas de saúde pública em torno das viagens internacionais" como forma de combater o coronavírus. 

    ​Com o agravamento da pandemia e mais variantes contagiosas emergindo em todo o mundo, este não é o momento de suspender as restrições às viagens internacionais. Seguindo o conselho de nossa equipe médica, a administração não pretende suspender essas restrições em 26/01. Na verdade, planejamos fortalecer as medidas de saúde pública em torno das viagens internacionais, a fim de mitigar ainda mais a disseminação do COVID-19

    Casa Branca liberou viagens

    Poucas horas antes, o presidente norte-americano, Donald Trump, assinou uma ordem retirando as restrições impostas no ano passado a voos de determinados países como forma de combater a disseminação do coronavírus. 

    A Casa Branca publicou nota oficial anunciando a liberação de viagens vindas do Reino Unido, União Europeia e Brasil a partir do dia 26 de janeiro, seis dias após a posse do democrata. Por outro lado, o governo dos EUA informou que a suspensão continuaria valendo para China e Irã. 

    Em maio do ano passado, os Estados Unidos anunciaram a proibição da entrada, em determinados casos, de pessoas que tivessem passado pelo território brasileiro por conta da pandemia da COVID-19. As regras não valiam para cidadãos norte-americanos ou com visto de residência. 

    Para entrar nos EUA é preciso cumprir quarentena de 14 dias em algum outro país em que a entrada no país fosse permitida. No dia 12 de janeiro, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) determinou que todo passageiro que quiser entrar nos Estados Unidos deve apresentar teste negativo para a COVID-19 feito pelo menos três dias antes da viagem. 

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)

    Mais:

    Brasil corre risco de vivenciar situação parecida com a invasão do Capitólio dos EUA?
    KC-390 do Brasil decola rumo aos EUA para participar do Exercício Culminating (VÍDEO)
    Sem avião para levar oxigênio a Manaus, Brasil pede ajuda aos EUA, diz site
    Tags:
    Joe Biden, Donald Trump, viagens, EUA, Brasil, COVID-19, pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar