15:02 12 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5137
    Nos siga no

    Cidadã norte-americana Lisa Montgomery, de 52 anos, foi executada nesta quarta-feira (13) sendo a primeira mulher nos EUA a ser submetida à pena de morte federal desde 1953.

    A execução se deu no complexo penitenciário de Terre Haute, estado de Indiana, quando a mesma foi dada como morta à 01h31 (02h31, no horário de Brasília).

    A pena foi cumprida após Lisa receber uma injeção letal. A mulher também se tornou a 11ª pessoa a receber tal injeção na referida penitenciária após os EUA retomarem execuções federais depois de um hiato de 17 anos, publicou a agência Associated Press.

    Antes de falecer, a mulher foi perguntada se gostaria de expressar suas últimas palavras, ao que se recusou dizendo apenas "não".

    Suprema Corte ordena execução da "Cortadora de Ventre" Lisa Montgomery

    Crime

    A razão da pena foi o assassinato da jovem Bobbie Jo Stinnett, de 23 anos, na cidade de Skidmore, estado do Missouri, em 2004.

    Na ocasião, Montgomery cortou o ventre de Stinnett, que estava grávida, com uma faca de cozinha para remover o bebê, fazendo uma cesárea forçada e em condições precárias. Logo em seguida, ela tentou fugir com a criança dizendo que a mesma era sua.

    Apesar da morte de Stinnet, a criança sobreviveu e hoje tem 16 anos e se chama Victoria Jo.

    A defesa de Montgomery alegou que a mulher sofria de problemas mentais para livrá-la da pena de morte, o que foi desconsiderado pela Justiça.

    Além disso, a defesa também afirmou que Montgomery sofreu tortura sexual durante a infância causando-lhe problemas emocionais.

    Contudo, a Justiça entendeu que a mesma cometeu o crime de forma premeditada após dirigir por 274 km de sua cidade Melvern até Skidmore para realizar o crime.

    Antes da execução de Lisa, a última mulher a sofrer tal pena nos EUA foi Bonnie Brown Heady, em 18 de dezembro de 1953, por sequestrar e matar uma criança de seis anos em Missouri.

    Já a última mulher a ser executada por um estado foi Kelly Gissendaner, de 47 anos, em 30 de setembro de 2015 na Geórgia. A mulher foi condenada em 1997 por matar seu marido Douglas Gissendaner em conluio com amante.

    Mais:

    Arábia Saudita deixará de aplicar pena de morte em menores de idade
    Deputada denuncia colega por importunação sexual em plenário na Alesp (VÍDEO)
    Presidente da Câmara dos EUA pede renúncia de chefe de polícia do Capitólio
    Tags:
    morte, crime, EUA, pena de morte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar