10:12 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    347
    Nos siga no

    Diplomatas pedem ao secretário de Estado dos EUA para se afastar do presidente norte-americano por este "encorajar" as atitudes que levaram aos eventos de tomada temporária do Capitólio em Washington.

    Cerca de 100 diplomatas dos EUA estão instando Mike Pompeo, secretário de Estado norte-americano, a condenar o presidente Donald Trump pelos acontecimentos violentos ocorridos em Washington na quinta-feira (7), de acordo com um memorando obtido pela emissora CNN.

    "O Departamento de Estado deve denunciar explicitamente o papel do presidente Trump neste violento ataque ao governo dos EUA", e "deveria também mencionar o presidente Trump pelo nome", aponta o memorando.

    Segundo o documento, "é fundamental que nós [diplomatas dos EUA] comuniquemos ao mundo que, em nosso sistema, ninguém, nem mesmo o presidente, está acima da lei ou imune à crítica pública".

    Os funcionários acusaram Trump de "encorajar" seus apoiadores "a invadir o Capitólio dos EUA", o que causou "[...] danos incalculáveis ao nosso sistema democrático e à nossa imagem no exterior". O memorando afirma que o presidente norte-americano desempenhou "um papel fundamental na quebra da série de 220 anos de transferência pacífica de poder entre os partidos políticos durante as eleições dos EUA".

    "O incitamento à violência pelo presidente Donald Trump contra a certificação de eleições livres e justas dos Estados Unidos é inaceitável e incompatível com nossas leis, os valores democráticos e as liberdades fundamentais protegidas, consagradas em nossos documentos fundadores, e nossa longa tradição de uma transferência de poder pacífica e ordenada", diz o documento.

    A orientação, a enviar aos escritórios de imprensa do Departamento de Estado e às embaixadas e consulados dos EUA no mundo todo, não deve incluir citações de Trump sobre o episódio, "pois ele não é uma voz confiável sobre este assunto", recomendam.

    Episódio do Capitólio

    Na sexta-feira (6), apoiadores de Trump invadiram o Congresso dos EUA para protestar contra a certificação dos votos no democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral, que prevaleceu sobre o ainda presidente nas eleições de 3 de novembro. Eles lutaram com a polícia durante várias horas, levando à morte de um policial e de quatro dos manifestantes.

    Na quinta-feira (7), Trump se comprometeu a fazer uma transição "suave" de poder no país, denunciando a invasão do Capitólio no dia anterior por seus partidários, dizendo que estava "indignado" com a violência e o caos que ocorreu, apesar de ter apelado à ordem e respeito pelos policiais durante o evento.

    Mais:

    Polícia encontra van repleta de bombas caseiras e armas perto do Capitólio
    Invasão ao Capitólio dos EUA foi 'contra a democracia e o bem comum', afirma Papa Francisco
    Universidade e faculdade dos EUA revogam títulos honorários de Trump
    Twitter bloqueia conta de Trump permanentemente por risco de 'incitação à violência'
    Porta-voz da Câmara dos EUA planeja prosseguir com impeachment se Pence não remover Trump, diz CNN
    Tags:
    Colégio Eleitoral, Congresso, Washington D.C, Polícia de Washington, Polícia, Washington, Capitólio dos EUA, Capitólio, Donald Trump, CNN, Mike Pompeo, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar