13:44 16 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5278
    Nos siga no

    O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, falou nesta quarta-feira (6) sobre o protesto de apoiadores do presidente Donald Trump, que invadiram o Capitólio.

    "A esta hora, nossa democracia está sob ataque sem precedentes. Diferente de tudo que vimos nos tempos modernos. Um ataque à cidade da liberdade, o próprio Capitólio", disse Biden. O presidente eleito pediu que Trump faça um pronunciamento em rede nacional e peça calma aos manifestantes.

    "As palavras de um presidente importam, não importa o quão bom ou ruim ele seja. Na melhor das hipóteses, as palavras de um presidente podem inspirar. Na pior das hipóteses, elas podem incitar. Portanto, apelo ao presidente Trump para ir à televisão nacional agora para cumprir seu juramento e defender a Constituição e exigir o fim deste cerco", disse o presidente eleito.

    Biden declarou que, assim como muitos outros norte-americanos, "está chocado" com o que está acontecendo em Washington. O presidente eleito também se disse triste pelo país: segundo ele, os Estados Unidos são uma "esperança para democracia", mas passam neste momento por um "momento de trevas". 

    "Ameaçar a segurança de funcionários eleitos não é nenhum protesto, é insurreição", disse Biden.

    Biden afirmou ainda que a invasão ao Capitólio é uma ameaça ao estado de direito e à democracia. O membro do Partido Democrata finalizou seu discurso convocando Trump a se manifestar sobre os protestos.

    "Presidente Trump, apareça" disse Biden.

    O presidente eleito também escreveu um tweet em que fala sobre os protestos desta quarta-feira (6).

    ​Deixe-me ser muito claro: as cenas de caos no Capitólio não representam quem somos. O que estamos vendo é um pequeno número de extremistas dedicados à ilegalidade. Isso não é dissidência, é desordem. É quase um motim e deve acabar. Agora.

    Invasão ao Capitólio

    Apoiadores pró-Trump romperam barreiras de segurança e invadiram o Congresso norte-americano, em Washington, nesta quarta-feira (6). Policiais e manifestantes entraram em confronto, e disparos foram ouvidos dentro do Capitólio dos Estados Unidos. Uma mulher foi baleada durante o confronto.

    O Congresso, formado pela Câmara dos Representantes e pelo Senado, se reuniu em uma sessão conjunta para contar e confirmar os votos do Colégio Eleitoral dados em 14 de dezembro.

    Pelo menos 140 membros da Câmara dos Representantes e 12 membros do Senado disseram que vão se opor à vitória de Joe Biden e estão exigindo uma comissão independente para realizar uma investigação nas eleições.

    Mais:

    'Veja o que vai acontecer': em comício, Trump promete continuar lutando pela vitória nas eleições
    Pence diz a Trump que não pode rejeitar certificação do Congresso sobre eleições, escreve jornal
    Trump proíbe transações com 8 aplicativos chineses para impedir suposta coleta de dados
    'Glória de ter destruído a oposição pertence a Donald Trump e Juan Guaidó', diz Maduro
    Tags:
    Partido Republicano, Partido Democrata, Washington, Capitólio, Donald Trump, Joe Biden, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar