05:45 27 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    254
    Nos siga no

    Mais de 60 processos judiciais movidos pela equipe do presidente Trump acusando Biden de ter ganhado a eleição norte-americana com fraudes e irregularidades foram rejeitados por tribunais estaduais e federais.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu continuar seus esforços para anular os resultados da eleição presidencial de 3 de novembro, alegando que mais evidências podem ser reveladas em breve sobre a ilegitimidade da vitória do democrata Joe Biden.

    "Veja o que vai acontecer nas próximas semanas. Veja o que vai sair. Veja o que vai ser revelado", afirmou em um comício em Dalton, Geórgia, na véspera do segundo turno das eleições no estado, que são cruciais para determinar se os republicanos continuarão a controlar o Senado.

    O segundo turno na Geórgia coloca os republicanos David Perdue e Kelly Loeffler contra os democratas Jon Ossoff e Raphael Warnock. Se pelo menos um candidato republicano vencer a reeleição, será o suficiente para os republicanos mantenham a maioria no Senado, o que lhes permitirá bloquear grande parte da agenda democrata.

    Presidente dos EUA, Donald Trump pressiona por votos na Geórgia
    © AFP 2021 / Andrew Caballero Reynolds
    Presidente dos EUA, Donald Trump pressiona por votos na Geórgia

    Trump pediu aos norte-americanos que apoiassem os dois candidatos republicanos nesta terça-feira (05), dizendo que uma maioria democrata tentaria influenciar a Suprema Corte.

    "Nunca haverá outra eleição justa na América […]. Isso daria a eles o poder de forçar cada peça iludida da legislação de esquerda que eles sempre quiseram, que sempre sonharam […]. Sua liberdade religiosa acabará, sua segunda emenda estará perdida, suas fronteiras e o grande novo muro já eram. Seus departamentos de polícia como os conhecemos desaparecerão e suas economias serão perdidas", acrescentou o presidente.

    Todavia, Trump garantiu que não havia possibilidade de os republicanos perderem a Geórgia, já que Biden foi certificado como o primeiro candidato presidencial democrata em mais de duas décadas a ganhar o estado. Em 2016, o presidente Trump venceu a Geórgia por 5,1%.

    "Não há como perdermos a Geórgia. Não há como. Foi uma eleição fraudulenta, mas ainda estamos lutando por ela e você verá o que vai acontecer […]. Eles não vão tomar [a] Casa Branca! Vamos lutar como um louco", prometeu o presidente.

    Na segunda-feira (4), um juiz federal dos EUA rejeitou uma ação dos republicanos em Wisconsin, que buscava dar ao vice-presidente Mike Pence autoridade total para anular os resultados das eleições presidenciais. Pence deve presidir a certificação do Congresso dos resultados da eleição presidencial de 2020 na quarta-feira (6). Pelo menos 140 membros da Câmara dos Representantes e 12 membros do Senado disseram que vão se opor ao resultado e estão exigindo uma comissão independente para conduzir uma auditoria em estados-chave.

    Em Charlotte, no estado norte-americano da Carolina do Norte, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, posa ao lado do vice-presidente Mike Pence, durante a convenção partidária republicana, em 24 de agosto de 2020
    © AP Photo / Andrew Harnik
    Em Charlotte, no estado norte-americano da Carolina do Norte, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, posa ao lado do vice-presidente Mike Pence, durante a convenção partidária republicana, em 24 de agosto de 2020

    O presidente Trump também pediu a Pence que rejeitasse a vitória de Biden durante a certificação do Congresso.

    Em 14 de dezembro, o Colégio Eleitoral oficialmente certificou o democrata Biden como o vencedor da eleição presidencial de 2020, depois que todos os 50 estados norte-americanos certificaram os resultados da votação, totalizando 306 votos eleitorais para Biden e 232 votos eleitorais para Trump. A posse de Biden está prevista para 20 de janeiro.

    Mais:

    OTAN estaria 'irritada' com atraso de Trump na transição de poder para Biden, diz mídia
    Senado dos EUA faz história e anula veto de Trump de projeto de lei de defesa
    Trump pediu ao secretário da Geórgia para 'encontrar' 11.780 votos, diz mídia dos EUA
    Às vésperas de fim de mandato de Trump, Eduardo Bolsonaro visita Casa Branca (VÍDEO)
    Tags:
    Eleições nos EUA, eleições nos EUA, EUA, Joe Biden, fraude, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar