09:58 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    331
    Nos siga no

    De acordo com os advogados de Assange, a apreciação do caso se estenderá por anos, podendo ser levado ao Supremo Tribunal britânico ou Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

    Julian Assange, fundador do WikiLeaks, não será extraditado para os EUA e o Departamento de Justiça norte-americano expressou sua decepção com a decisão da juíza Vanessa Baraitser, do Tribunal de Londres, Reino Unido.

    "Embora estejamos extremamente desapontados com a decisão final do tribunal, estamos gratos que os EUA prevaleceram em todos os pontos da lei levantados. Em particular, o tribunal rejeitou todos os argumentos do sr. Assange sobre motivação política, ofensa política, julgamento justo e liberdade de expressão", lê-se na nota divulgada nesta segunda-feira (4) e reproduzida pela agência Reuters.

    O tribunal britânico negou o pedido norte-americano alegando que o fundador do WikiLeaks não pode ser extraditado devido aos riscos a vida e saúde dele. A juíza Vanessa Baraitser aceitou que Assange provavelmente seria submetido a altos níveis de isolamento, bem como a medidas administrativas especiais antes e depois do julgamento nos EUA que afetariam seriamente sua saúde mental.

    Apoiantes de Julian Assange participam de um protesto em frente ao Tribunal Criminal Central de Londres
    © AP Photo / Matt Dunham
    Apoiantes de Julian Assange participam de um protesto em frente ao Tribunal Criminal Central de Londres
    "O último argumento da defesa está ligado à saúde de Assange, e após analisar sua saúde e as conclusões de psiquiatras [...]. Considerei que as medidas administrativas especiais podem ser aplicadas contra ele nos EUA, envolvendo um sério isolamento. Isto pode afetar negativamente sua saúde psicológica", afirmou Baraitser também nesta segunda-feira (4).

    De acordo com os advogados de Assange, o caso do fundador do WikiLeaks ainda se estenderá por anos, podendo ser levado ao Supremo Tribunal britânico ou Tribunal Europeu de Direitos Humanos. Desta forma, o atual veredito seria apenas a primeira parte do processo. O Departamento de Justiça dos EUA, por sua vez, afirmou que o país seguirá buscando a extradição de Assange.

    Mais:

    'Só você pode salvar a vida dele': Snowden pede que Trump perdoe Assange
    Parlamentar australiano pede ao presidente Trump para conceder perdão a Julian Assange
    Snowden, Assange e quem mais Donald Trump poderia perdoar no final de seu mandato?
    Snowden comemora rejeição da extradição de Assange
    Tags:
    Reino Unido, wikileaks, WikiLeaks, prisão de Julian Assange, Julian Assange, Departamento de Justiça dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar