07:57 14 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    581
    Nos siga no

    Mais de meio ano após a morte do afro-americano George Floyd, Minneapolis acabou sendo de novo palco de morte de homem por policiais, que publicaram o vídeo da troca de tiros para comprovar justa causa no tiroteio.

    O Departamento de Polícia de Minneapolis divulgou na quinta-feira (31), como prometido pelo delegado Medaria Arradondo, imagens das câmeras acopladas aos uniformes dos policiais envolvidos nos disparos mortais na direção de um suspeito, identificado como um homem de 23 anos de idade, Dolal Idd, da cidade de Eden Prairie, de Minnesota, durante uma parada de trânsito na noite de quarta-feira (30).

    Na quarta-feira (30), Arradondo disse que o suspeito do crime parecia ter disparado primeiro e os policiais atiraram de volta, citando depoimentos iniciais de testemunhas. O delegado prometeu liberar as imagens das câmeras acopladas aos uniformes dos policiais na quinta-feira, quando manifestantes furiosos foram às ruas para protestar contra a morte do homem pela polícia, a segunda em menos de sete meses.

    As filmagens divulgadas apoiam a versão do Departamento de Polícia de Minneapolis.

    O vídeo de 45 segundos mostra um policial saindo de uma viatura com arma de fogo nas mãos, gritando ao suspeito para parar.

    "Mãos para cima! Polícia! Mãos para cima!", grita o policial ao suspeito, que tentou escapar de carro antes que outras viaturas bloqueassem seu caminho.

    No vídeo, Idd parece ter disparado pelo menos um tiro de dentro de seu carro, antes de os policiais responderem com o mesmo, resultando em sua morte.

    "Do meu ponto de vista do vídeo e das informações preliminares que também mencionaram que uma testemunha viu o indivíduo disparar primeiro nos policiais, meus oficiais estavam reagindo a essa ameaça mortal", disse Arradondo à revista Slate, após a liberação do vídeo.

    "A investigação revelará mais detalhes, mas a pergunta é: 'Os oficiais não deveriam reagir em uma situação de força mortal, e sabendo que a vida dos membros da comunidade também estava em jogo?' Os oficiais são treinados para proteger a vida dos membros da comunidade e sua própria vida", comentou.

    A morte de Dolal Idd na quarta-feira (30) não é o primeira por um policial de um suspeito desde o assassinato de um homem afro-americano desarmado, George Floyd, em maio de 2020, por oficiais brancos, embora tenha desencadeado manifestações de meses de duração em todos os EUA, protestando contra a brutalidade policial, o racismo e a injustiça social no país.

    Mais:

    Incidente envolvendo atirador deixa ao menos 8 feridos em shopping nos EUA (FOTOS)
    Ex-policial que sufocou George Floyd deixa prisão após pagar fiança de US$ 1 milhão
    Tiroteio em Oregon, nos EUA, deixa mortos (VÍDEO)
    Tiroteio deixa ao menos 1 morto em shopping nos EUA
    Sindicato nacional de policiais dos EUA anuncia apoio a Trump
    Tags:
    Minnesota, Minneapolis, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar