07:54 17 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    0190
    Nos siga no

    As autoridades bolivianas e do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) assinaram nesta quarta-feira (30) um contrato para fornecimento de vacinas Sputnik V contra a COVID-19. O anúncio foi feito em uma transmissão on-line no palácio do governo, em La Paz.

    "Estamos felizes com a assinatura de um contrato muito importante para o nosso país, para a nossa população, para o povo boliviano, porque assim a Bolívia faz parte dos muitos países que hoje se esforçam para dar à população uma solução e uma certeza diante da pandemia", disse o presidente boliviano, Luis Arce.

    ​A Bolívia faz parte dos muitos países que atualmente se esforçam para dar uma solução à COVID-19. Lembro que quando estávamos na campanha, nos encontramos com o embaixador da Rússia para que nosso país tivesse a possibilidade de acessar a vacina.

    Segundo informações do Fundo Russo de Investimento Direto (RFPI, na sigla em russo), Rússia e Bolívia firmaram um acordo para fornecer ao país andino 2,6 milhões de doses de Sputnik V. O acordo permitirá que mais de 20% da população da Bolívia tenha acesso à vacina. O fornecimento da vacina será facilitado pelos parceiros internacionais da RFPI na Índia, China, Coreia do Sul e outros países.

    De acordo com o diretor-geral do RFPI, Kirill Dmitriev, "a Rússia está desenvolvendo ativamente a cooperação com a Bolívia na luta contra a nova infecção por coronavírus. Gostaríamos de expressar nossa gratidão ao Presidente Luis Alberto Arce Catacora por confiar na vacina Sputnik V. A vacina russa é baseada em uma plataforma de vetor adenoviral humano bem pesquisada que provou ser segura, sem efeitos adversos de longo prazo em mais de 250 ensaios clínicos ao longo de décadas".

    RFPI e autoridades bolivianas assinaram acordo para fornecer 2,6 milhões de doses da Sputnik V para a Bolívia. A vacina protegerá um quinto de sua população. O fornecimento será facilitado por parceiros da RFPI na Índia, China, Coreia do Sul e outros países.

    "No início deste ano, o primeiro medicamento russo contra a COVID-19, o Avifavir, foi entregue à Bolívia e temos o prazer de abrir um novo capítulo em nossos esforços conjuntos para superar a pandemia. A vacina segura e altamente eficaz Sputnik V protegerá mais de 20% da população da Bolívia. Esperamos ampliar nossa cooperação sobre a vacina com outros países latino-americanos no futuro", disse Kirill Dmitriev.

    Ainda hoje (30), o presidente da Bolívia assinou três leis fiscais, e outra que garante os recursos necessários para a compra de vacinas contra a COVID-19.

    Luis Arce, presidente da Bolivia, e seu vice David Choquehuanca
    © REUTERS / David Mercado
    Presidente boliviano Luis Arce e seu vice David Choquehuanca na varanda do Palácio Presidencial de La Paz, Bolívia
    A Arce rubricou a legislação do Orçamento Geral para o ano de 2021, a lei de imposto sobre as grandes fortunas, e o regime de reembolso dos impostos. Essas regulamentações, segundo o presidente, buscam estabelecer o quadro jurídico necessário para melhorar a redistribuição de renda e, assim, ajudar os bolivianos a superar a recessão.

    Em outubro, Arce havia anunciado sua intenção de contar com a vacina russa. Na época, ele disse que a importação do imunizante não será voltado para pesquisa, mas direto para a fase de vacinação.

    O acordo entre Rússia e Bolívia teve a participação do presidente da Argentina, Alberto Fernández, que no domingo (27) havia declarado que tanto o governo bolíviano quanto o uruguaio haviam requisitado ajuda para comprar e estocar vacinas contra a COVID-19.

    Luis Arce, por sua vez, mantém intensas reuniões com os diversos países e empresas farmacêuticas produtoras de vacinas para fechar acordos. A Bolívia faz parte da COVAX, da Organização Mundial da Saúde, uma coalizão de 165 países cujo objetivo é garantir vacina contra o coronavírus às nações mais pobres.

    Faltando poucos dias para o final do ano, a Bolívia registrou ontem (29) 1.293 casos de infectados e 29 mortes pela COVID-19 nas últimas 24 horas. Santa Cruz, La Paz e Cochabamba registraram altos números de casos positivos.

    O avião que realiza o transporte da vacina Sputnik V para a Argentina
    © Sputnik
    O avião que realiza o transporte da vacina Sputnik V para a Argentina
    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Presidente da Bolívia anuncia descobrimento de novo 'megacampo de gás'
    Evo Morales reassume presidência do MAS de olho nas eleições municipais da Bolívia
    Cientistas identificam transmissão humana de vírus raro e letal na Bolívia
    Tags:
    Bolívia, Argentina, Rússia, Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI), Sputnik V, La Paz, Luis Arce, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar