12:50 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    0 11
    Nos siga no

    Os congressistas da Câmara dos EUA aprovaram nesta segunda-feira (28) um projeto que aumenta os valores de pagamento distribuídos às famílias norte-americanas sob a nova legislação de benefícios sociais ante a COVID-19. O valor sobe para US$ 2.000 (cerca de R$ 10.400).

    A medida - apoiada pelo presidente Donald Trump e pelos democratas - será enviada ao Senado para aprovação, onde enfrenta menores chances de aprovação, escreve a Fox News.

    O presidente Trump assinou no domingo (27) uma legislação de alívio, para o enfrentamento da pandemia de COVID-19, de US$ 900 bilhões (cerca de R$ 4,7 trilhões), que faz parte de um pacote de financiamento governamental mais amplo, envolvendo diversos setores da economia. Inicialmente, o pacote de alívio contra a COVID-19 incluía pagamentos individuais de US$ 600 (R$ 3.107,10) para cidadãos com direito a receber o auxílio.

    Trump chamou este valor de uma "desgraça", e exigiu que os deputados aumentassem para US$ 2.000 (cerca de R$ 10.400) por indivíduo ou até US$ 4.000 (R$ 20.714) por família.

    Em uma publicação em uma rede social, a deputada democrata Nancy Pelosi celebrou a aprovação do pacote desta segunda-feira (28) e disse que "é hora de o Senado fazer o mesmo".

    A Câmara e o presidente estão de acordo: devemos entregar cheques de US$ 2.000 [cerca de R$ 10.400] às famílias norte-americanas que enfrentam dificuldades nesta época de festas. A Câmara acabou de aprovar o #CASHAct - é hora de o Senado fazer o mesmo.

    O líder republicano no Senado, Mitch McConnell, havia publicado no domingo (27) nas redes sociais que estava "feliz que o povo norte-americano receberá essa assistência tão necessária enquanto nossa nação continua lutando contra esta pandemia". Porém, no domingo (27), o valor ao qual ele se referia ainda era de US$ 600 (R$ 3.107,10).

    Aplaudo a decisão do presidente de colocar bilhões de dólares em ajuda humanitária crucial da COVID-19 pela porta e nas mãos de famílias norte-americanas. Estou feliz que o povo norte-americano receberá essa assistência tão necessária enquanto nossa nação continua lutando contra esta pandemia.

    Com a aprovação do pacote desta segunda-feira (28), McConnell ainda não falou se permitirá que a proposta do novo valor seja votada. Alguns senadores republicanos discordam sobre a necessidade do aumento. Do jeito que está agora, a maioria dos norte-americanos que ganham menos de US$ 75.000 (R$ 393.536) por ano receberá um cheque de $ US 600 (R$ 3.107,10).

    É valido lembrar, contudo, que alguns senadores do partido Republicano parecem dispostos a apoiar a proposta.

    "Compartilho a preocupação de muitos dos meus colegas sobre os efeitos de longo prazo dos gastos adicionais, mas não podemos ignorar o fato de que milhões de famílias da classe trabalhadora em todo o país ainda precisam urgentemente de ajuda", disse o senador republicano Marco Rubio.

    ​Estou preocupado com a dívida, mas as famílias trabalhadoras foram gravemente afetadas pela pandemia. É por isso que apoiei US$ 600 [R$ 3.107,10] em pagamentos diretos a famílias trabalhadoras e, se tiver a chance, votarei para aumentar o valor.

    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Pentágono está em alerta vermelho após fala de Trump sobre lei marcial, relata jornal
    'Assim começa o comunismo': Twitter continua sinalizando posts de Trump como 'controversos'
    EUA alocam US$ 290 milhões para resistir à 'influência russa'
    Irã espera que os EUA deixem tensões, mas ao mesmo tempo se prepara para 'qualquer cenário'
    Tags:
    EUA, Congresso, Donald Trump, COVID-19, auxílio financeiro, auxílio estatal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar