13:50 06 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    261
    Nos siga no

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, participou nesta segunda-feira (28) de um evento de fim de ano das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas.

    Ao longo da cerimônia, Nicolás Maduro fez uma série de discursos. Ele reiterou que em 2022 a oposição de seu país poderá recolher assinaturas e solicitar um referendo para revogar seu mandato.

    "Em 2022, qualquer oponente que queira exercer seu direito constitucional de coletar assinaturas e solicitar um referendo revogatório contra o presidente Maduro tem seu direito e pode exercê-lo", disse o presidente.

    A consciência de aço dos militares venezuelanos derrotou a conspiração e as tentativas de divisão. A FANB [Forças Armadas Nacionais Bolivarianas] tem homens e mulheres leais e comprometidos com o povo e a pátria. Independência ou nada!

    Ele também denunciou durante o evento que a Colômbia prepara ataques contra as unidades militares de seu país. Maduro acredita que ações poderão ser executadas nos próximos dias com o financiamento de Iván Duque, presidente da Colômbia.

    "Da Colômbia, preparam-se ataques contra as unidades militares do país, com mercenários formados com financiamento de Iván Duque. Preparam-se ataques no final deste ano e nos próximos dias", afirmou.

    Vale lembrar que no início do mês de dezembro, o governo da Venezuela anunciou a prisão de dois indivíduos que planejavam explodir a refinaria de petróleo El Palito, localizada no estado de Carabobo, no norte do país.

    Segundo o governo da Venezuela, os envolvidos no plano vieram da Colômbia para simular uma célula interna venezuelana insatisfeita com o governo. Após a explosão, haveria a incursão de um grupo de militares e oficiais desertados ou aposentados, venezuelanos e colombianos, da cidade de Cúcuta, na Colômbia.

    ​Mais cedo, em uma postagem em uma rede social, o presidente da Venezuela escreveu uma mensagem de fim ano para os venezuelanos. Ao comentar os bloqueios e embargos que o país sofreu durante a pandemia de COVID-19, ele disse que "juntos, enfrentamos adversidades e saímos vitoriosos. O povo unido jamais será vencido".

    A contagem regressiva começa para o final de 2020, um ano de grandes dificuldades devido ao bloqueio criminoso e à pandemia do Coronavírus. Juntos, enfrentamos adversidades e saímos vitoriosos. O povo unido jamais será vencido!

    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Venezuela se transformou em uma plataforma do crime organizado, afirma Ernesto Araújo
    Com Biden, política intervencionista dos EUA contra Venezuela deverá se manter, diz Diosdado Cabello
    Biden deve buscar solução para crise da Venezuela sem exigir renúncia de Maduro, aponta mídia
    Tags:
    COVID-19, Forças Armadas Nacionais Bolivarianas, fim de ano, Venezuela, oposição, nicolás maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar