21:56 10 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    340
    Nos siga no

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi às redes sociais na noite desta quinta-feira (24) para reclamar da falta de apoio de senadores do partido Republicano.

    O atual presidente norte-americano continua em sua cruzada contra o resultado das eleições deste ano nos EUA. Além de se recusar a reconhecer a vitória do democrata Joe Biden, acreditando que o resultado foi fraudado, Donald Trump segue apostando na possibilidade de reverter o resultado do pleito.

    Ontem (23), ele exigiu nomear "imediatamente" um conselho especial para investigar as alegações de "fraude", mesmo depois de apelações anteriores terem ido por água abaixo. Antes, no mesmo dia (23), William Barr havia deixado oficialmente o cargo de procurador-geral. Barr reiterou em diversas ocasiões nas últimas semanas que não havia evidência de fraude sistemática na eleição.

    Na noite desta quinta-feira (24), Trump redirecionou suas críticas ao senadores do partido Republicano, inclusive ao parlamentar republicano mais influente, Mitch McConnell, que reconheceu a vitória de Joe Biden e afirmou não haver dúvidas de que o democrata será o próximo presidente dos Estados Unidos.

    ​Eu salvei pelo menos oito senadores republicanos, incluindo Mitch, de perder na última eleição (para presidente). Agora eles (quase todos) se sentam e me observam lutar contra um inimigo corrupto e cruel, os democratas da esquerda radical. Eu nunca esquecerei!

    O líder do Senado nos EUA se juntou ao coro de aliados de Trump que se pronunciaram após a decisão do Colégio Eleitoral, como Lindsey Graham, da Carolina do Sul; John Cornyn, do Texas; e Chuck Grassley, de Iowa.

    Em uma reunião na Flórida hoje [24], todos estavam perguntando por que os republicanos não estão em pé de guerra e lutando pelo fato de que os democratas roubaram a eleição presidencial? Especialmente no Senado, eles disseram, onde você ajudou oito senadores a vencer suas disputas. Como eles esquecem rapidamente!

    A '2ª tomada de posse' virtual de Trump

    Enquanto o presidente dos EUA encontra dificuldades para estabelecer aliados políticos que compartilhem de sua teoria de fraude nas eleições norte-americanas, os partidários de Trump estão se organizando. Eles planejam uma posse virtual para Donald Trump no dia da posse de Biden.

    ​A tomada de posse virtual deverá começar às 12h00 (14h00, horário de Brasília) de 20 de janeiro de 2021, bem no momento em que é esperado que Joe Biden preste juramento na cerimônia em Washington (EUA).

    O evento organizado por Ilir Chami e Evi Kokalari, dois apoiadores de Trump que afirmam ter participado de sua campanha de reeleição em 2020, é descrito como "uma coleção de base de 325 mil indivíduos em apoio ao atual presidente sem filiação a nenhuma organização.

    Mais:

    Cientista revela capacidades da embarcação russa apelidada pela mídia dos EUA de 'navio mais feio'
    Imunidade coletiva pode exigir vacinação de até 90% da população, diz infectologista líder dos EUA
    EUA afirmam que abrirão consulado em região disputada do Saara Ocidental
    Pompeo pede eleições livres na Nicarágua: 'Os EUA não hesitarão em impor outras consequências'
    Tags:
    eleições nos EUA, Joe Biden, política, Associação de Governadores Republicanos, Republicanos, senadores, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar