18:28 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    160
    Nos siga no

    Valor equivale a R$ 4 trilhões e a prioridade serão os desempregados, pequenos negócios e escolas, mas vai servir também para a distribuição e testes de novas vacinas.

    No início da noite de segunda-feira (21), a Câmara dos Representantes aprovou o projeto por 359 votos a favor e 53 contra. A seguir, foi a vez do Senado, onde foi também apoiado por ampla maioria: 91 a favor e 7 contra. Agora falta apenas o presidente Donald Trump assinar o texto para a lei entrar em vigor.

    A aprovação ocorre após o anúncio de que os líderes do Congresso haviam finalmente chegado a um acordo depois de meses de impasse partidário e negociações, segundo a CNN Brasil.

    O texto prevê pagamentos diretos de até US$ 600 (R$ 3.074) a adultos atingidos economicamente pela pandemia, bem como benefícios de seguro-desemprego de US$ 300 (R$ 1.500) por semana.

    "Finalmente podemos informar o que a nossa nação precisava escutar há muito tempo", afirmou na noite de domingo (20) o senador Mitch McConnell, líder da maioria republicana.

    Foram aprovados, além de cerca de US$ 284 bilhões (R$ 1,4 trilhão) em empréstimos do Programa de Proteção ao Salário, US$ 25 bilhões (R$ 125 bilhões) em assistência ao aluguel e uma extensão da moratória de despejos, bem como US$ 82 bilhões (R$ 420 bilhões) para escolas e faculdades.

    Os EUA enfrentam uma forte onda de contágios pela COVID-19, que mais uma vez provocou o fechamento de comércios nos estados mais críticos.

    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Homem tenta assaltar banco nos EUA e, em vez de empunhar arma, ameaça infectar todos com COVID-19
    Sanções 'desumanas' dos EUA impedem Irã de comprar vacinas contra COVID-19, segundo Banco Central
    Com mais de 3 mil mortes em 24h, EUA batem recorde de óbitos diários por COVID-19
    Tags:
    crise, novo coronavírus, COVID-19, Congresso, eua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar