11:50 21 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3173
    Nos siga no

    Um grupo de entusiastas finalmente decifrou uma das cartas criptografadas do Assassino do Zodíaco, enviada há mais de 50 anos. No entanto, a sua identidade permanece um mistério.

    Os investigadores finalmente decodificaram uma das mensagens infames do Assassino do Zodíaco, 51 anos depois de ter sido enviada para os escritórios do San Francisco Chronicle.

    Um dos pesquisadores contou ao Chronicle sobre a descoberta de sua equipe na sexta-feira (11), revelando o conteúdo da carta: "Espero que você esteja se divertindo muito tentando me pegar [...]. Não tenho medo da câmara de gás, porque ela vai me mandar para o paraíso mais cedo, porque agora tenho escravos suficientes para trabalhar para mim."

    Conhecida como "criptograma 340" devido ao número de caracteres que continha, esta carta foi decifrada por três pesquisadores amadores através de um programa de computador que decifra códigos.

    Segundo o web designer David Oranchak, um dos membros do grupo que decifrou a carta, na década de 1950 os militares americanos usavam um código semelhante.

    Três vítimas do Assassino do Zodíaco: o motorista de táxi Paul Stine (à esquerda), a estudante Cecilia Shepard (ao centro) e o único sobrevivente, Bryan Hartnell (à direita)
    © AP Photo / WP
    Três vítimas do Assassino do Zodíaco: o motorista de táxi Paul Stine (à esquerda), a estudante Cecilia Shepard (ao centro) e o único sobrevivente, Bryan Hartnell (à direita)
    Além de notificar o Chronicle, Oranchak e seus colegas repassaram a carta decodificada ao FBI, que ainda trata o caso como uma "investigação em andamento".

    O Assassino do Zodíaco, assim chamado devido a ter usado esse símbolo para assinar sua correspondência, assombrou o Norte da Califórnia, durante o final dos anos 1960 e início dos anos 1970, deixando para trás um rastro de várias mortes. O assassino nunca foi identificado, embora as evidências apontem para cinco assassinatos e dois tiroteios não fatais, tendo o próprio assassino afirmado em suas cartas ter morto cerca de 37 vítimas.

    Antes da decodificação do "criptograma 340", uma outra carta do assassino, conhecida como "criptograma 408", foi decodificada por um professor e sua esposa em 1969. A carta dizia pouco mais que "Eu gosto de matar pessoas porque é muito divertido" e "quando eu morrer, renascerei no paraíso".

    Mais:

    Mais um: América Latina recebe 2ª 'visita' de misterioso monólito (FOTOS)
    China prende jornalista de empresa norte-americana por suspeita de crime contra segurança nacional
    Acusado de liderar protestos em 2017, jornalista opositor é executado no Irã
    Tags:
    carta, mistério, assassino, crime, Estados Unidos, Califórnia, São Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar