00:48 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1412
    Nos siga no

    Donald Trump acelera negociações para vender os direitos para exploração de petróleo no Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Ártico (ANWR), antes que Joe Biden tome posse, sendo assim impedido de revogar os contratos.

    O Departamento do Interior dos EUA (DOI, na sigla em inglês), anunciou na quinta-feira (2) que realizará o leilão para a exploração do local em 6 de janeiro. O evento está sendo intencionalmente acelerado para garantir que as concessões de petróleo e gás sejam formalmente emitidas antes que Biden seja empossado como novo presidente dos EUA em 20 de janeiro, de acordo com a agência Bloomberg.

    Biden prometeu proteger permanentemente o refúgio mencionado, contudo, estas concessões são contratos negociados diretamente com o governo federal, e por isso difíceis de cancelar.

    Chad Padgett, diretor do Escritório de Gestão Territorial do Alasca (BLM, na sigla em inglês), disse em um comunicado à imprensa que a venda seria um passo importante, uma vez que "o petróleo e o gás da planície costeira são recursos importantes para atender às demandas de energia de longo prazo da nossa nação e ajudarão a criar empregos e oportunidades econômicas".

    Vista aérea do Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Ártico (ANWR)
    © AP Photo / Serviços de Pesca e Vida Selvagem dos EUA
    Vista aérea do Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Ártico (ANWR)
    Porém, os ambientalistas e indígenas do Alasca, incluindo o povo Gwich’in, que consideram a área sagrada, dizem que a ação coloca em risco uma região selvagem, que é o lar de renas, pássaros migratórios e outras espécies. Eles prometeram lutar contra o novo plano de venda no tribunal, com base em outros litígios que já desafiavam a decisão anterior do Departamento em tornar todos os 3,86 milhões de hectares da planície costeira abertos para exploração de petróleo.

    Por sua vez, o Departamento do Interior já se encontra postando avisos formais de venda antes de terminar de solicitar informações sobre quais áreas específicas devem ser levadas a leilão. As petrolíferas têm até 17 de dezembro para fazer recomendações. Os detalhes dos termos de venda - incluindo os lances mínimos exigidos - foram definidos para serem divulgados na segunda-feira (7).

    Presidente dos EUA, Donald Trump, em coletiva de imprensa na Casa Branca em Washington, EUA, 24 de novembro de 2020
    © REUTERS / Hannah McKay
    Donald Trump, presidente dos EUA, em coletiva de imprensa

    A data da venda fornece a administração Trump duas semanas para emitir formalmente qualquer concessão vendida em leilão antes que Biden tome posse como presidente. Esse processo de vetar licitantes elevados e submetê-los a uma revisão do Departamento de Justiça normalmente leva meses, mas as autoridades do Interior têm planejado estratégias para acelerá-lo.

    Mais:

    'China é a maior ameaça para os EUA desde a 2ª Guerra Mundial' diz chefe de Inteligência dos EUA
    Projeto Veritas desafia CNN a ir à Justiça por causa de vazamento de gravações
    Acordo comercial com os EUA suportaria Taiwan diante da pressão chinesa, diz presidente taiwanês
    Tags:
    exploração de petróleo, Joe Biden, Donald Trump, Estados Unidos, Alasca, Ártico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar