18:31 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    519
    Nos siga no

    Quando o presidente eleito Joe Biden chegar à Casa Branca deve manter a pressão sobre Caracas a fim de iniciar negociações, disse Elliott Abrams, representante especial dos EUA para o Irã e Venezuela.

    Em uma entrevista à Reuters, o alto funcionário dos EUA instou a próxima administração Biden a usar a influência que acredita ter sido ganha com anos de duras sanções destinadas a destituir o presidente Nicolás Maduro.

    Abrams disse que tem "sempre uma preocupação" de que a nova administração possa tornar mais branda a pressão sobre Maduro, embora ele não tenha visto sinais disso por parte de Biden ou de seus assistentes, apelando a manter sanções rigorosas.

    Além disso, o alto funcionários americano ameaçou com mais sanções contra qualquer responsável por "fraude eleitoral" nas eleições para o Congresso venezuelano, agendadas para este domingo (6).

    "Eles estão realmente encostados à parede," disse Abrams, se referindo ao impacto econômico das sanções dos EUA sobre Maduro e seus aliados. "E nós temos muita influência; devemos usá-la [...] O meu conselho político [à administração Biden] seria não dar brindes a Maduro".

    Anteriormente o almirante Craig Faller, chefe do Comando Sul das Forças Armadas dos EUA, declarou que o Irã enviou armas e paramilitares para ajudar Nicolás Maduro na Venezuela.

    Mais:

    Maduro diz que está disposto a deixar poder se oposição vencer eleições parlamentares
    Maduro denuncia estratégia dos EUA para prejudicar plano alimentar da Venezuela
    Crise econômica e COVID-19 na Venezuela forçam migração e aumentam violência contra mulheres
    Tags:
    Nicolás Maduro, Joe Biden, Casa Branca, Estados Unidos, sanções econômicas, Irã, Venezuela, Elliott Abrams
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar