02:48 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    158
    Nos siga no

    Mais de 1.000 pesquisadores chineses deixaram os EUA em meio a uma ofensiva contra o suposto roubo de tecnologia, disse John Demers, principal oficial de segurança nacional do Departamento de Justiça.

    William Evanina, chefe do ramo de contra-espionagem do escritório do diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, também falou que os agentes chineses já observam as figuras escolhidas para o governo do presidente eleito Joe Biden, bem como "pessoas próximas" dele, segundo noticiou a Reuters.

    Estudantes chineses
    © AFP 2021 / STR
    Estudantes chineses

    Um funcionário do Departamento de Justiça explicou que os pesquisadores mencionados por Demers eram de um grupo diferente daquele citado pelo Departamento de Estado em setembro, quando o órgão afirmou que os EUA haviam revogado os vistos de mais de 1.000 chineses, com respaldo em uma medida presidencial que negava a entrada de estudantes e pesquisadores considerados riscos de segurança.

    A China descreveu esse movimento como perseguição política e discriminação racial "descaradas", que violam gravemente os direitos humanos.

    Mais:

    Mídia: administração Trump deve sancionar 2 empresas supostamente ligadas ao setor militar da China
    China testa protótipo de motor hipersônico para aeronaves (FOTO)
    Relatório da OTAN indica que a China poderia ameaçar a Europa e aos EUA
    Tags:
    América, política, Departamento de Estado, governo, relações exterirores, espionagem, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar