20:31 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    293
    Nos siga no

    Centenas de manifestantes invadiram neste sábado (21) o Congresso da Guatemala e queimaram parte do prédio, em meio aos crescentes protestos contra o governo após a aprovação de um orçamento que corta gastos em educação e saúde.

    A manifestação reuniu cerca de sete mil pessoas em frente ao Palácio Nacional na Cidade da Guatemala, que gritavam palavras de ordem e mostravam cartazes com mensagens contra o orçamento recém-aprovado pelo governo do presidente Alejandro Giammattei.

    De acordo com a agência AP, os manifestantes alegam que o orçamento foi negociado e aprovado pelos legisladores em segredo, enquanto o país centro-americano lidava com os efeitos de furacões consecutivos e da pandemia de COVID-19. 

    Os atos começaram pacíficos, mas a situação escalou depois que alguns manifestantes conseguiram entrar na sede do Parlamento e atearam fogo no local.

    Diversos vídeos foram publicados nas mídias sociais, mostrando as chamas que saíam de uma janela do prédio legislativo. De acordo com a imprensa local, agentes de segurança dispararam gás lacrimogêneo contra os manifestantes e havia pessoas feridas.

    O presidente Alejandro Giammattei, por sua vez, rechaçou os atos de vandalismo cometidos pelos manifestantes no Congresso da República.

    "Reitero que existe o direito à manifestação conforme a lei. Mas não podemos permitir que vandalizem a propriedade pública e privada. Aqueles que tiverem sua participação comprovada nesses atos criminosos sofrerão todo o peso da lei", escreveu Giammattei no Twitter.

    Enquanto toda a Guatemala está protestando e mostrando a cara para que o país não seja mais roubado, os corruptos andam escondidos e confortáveis com os milhões roubados.

    Além do presidente, os corpos das forças de segurança também se manifestaram através das redes sociais.

    "Arruaceiros tentaram retornar ao edifício do Congresso, mas foram contidos pela polícia; apesar das múltiplas provocações, as forças de segurança mantiveram a calma e agiram de maneira firme para manter a ordem", escreveu a Polícia Nacional Civil no Twitter.

    O lançamento de pedras e outros artigos causaram lesões em pessoas que estão sendo assistidas pela polícia e pelos corpos de emergência. A PNC [Polícia Nacional Civil] reitera que cumpre com a manutenção da ordem e o uso racional da força, enquanto, por outro lado, segue protegendo os manifestantes pacíficos. 

    As manifestações ganharam intensidade depois que o vice-presidente da Guatemala, Guillermo Castillo, propôs a Giammattei uma renúncia conjunta "para o bem do país", diante do descontentamento gerado pela aprovação do orçamento. 

    Segundo a agência AP, o vice-presidente também sugeriu que Giammattei vetasse o orçamento aprovado, demitisse funcionários do governo e tentasse uma aproximação com outros setores políticos do país.

    Giammattei, por sua vez, não respondeu publicamente à proposta de Castillo, que frisou que não renunciaria sozinho.

    Mais:

    Tornado assustador invade cidade na Guatemala e deixa rastro de destruição (VÍDEO)
    Ladrões roubam avião no México, 'buscam' drogas na Venezuela e batem na Guatemala
    Guatemala expulsa mais de 3.300 imigrantes hondurenhos
    Tags:
    violência, protestos violentos, protestos, Guatemala
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar