18:38 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    125
    Nos siga no

    Após autorizar cultivo de cannabis medicinal para consumo próprio, presidente Alberto Fernández dá seguimento à agenda progressista na Argentina.

    O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou nesta terça-feira (17) que vai enviar um projeto de lei ao Congresso sobre a interrupção legal da gravidez. O anúncio foi confirmado nas redes sociais de Alberto Fernández.

    ​Sempre foi meu compromisso que o Estado acompanhe todas as gestantes em seus projetos de maternidade e cuide da vida e da saúde de quem decide interromper a gravidez. O Estado não deve ignorar nenhuma dessas realidades.

    Fernández explicou que o objetivo é garantir "que todas as mulheres tenham acesso ao direito à saúde integral". Ele também citou outro projeto de lei que criará o programa "Seguro Mil Dias", cuja finalidade é fortalecer a atenção integral durante a gravidez, e também em crianças que estão nos primeiros anos de vida.

    O presidente da Argentina concluiu o pronunciamento dizendo que "hoje também quero agradecer a todos os militantes que lutam por uma sociedade melhor. À militância feminista que busca ter seus direitos reconhecidos. Ao ativismo social que luta pelos despossuídos. À militância sindical que zela pelos direitos dos trabalhadores".

    Vale lembrar que há cerca de um mês, o governo da Argentina autorizou o cultivo de cannabis medicinal, bem como o acesso aos seus óleos e derivados em farmácias autorizadas. O decreto 883/2020 foi assinado pelo presidente Alberto Fernández e publicado no Diário da República.

    Mais:

    Após compra de 25 milhões de doses da Sputnik V, Argentina tem ressaltada parceria com Rússia
    Missão do FMI chega à Argentina para negociar devolução de empréstimo
    Argentina reforça segurança da fronteira com o Paraguai após suposta 'ameaça terrorista'
    Tags:
    legalização, Congresso, aborto, maconha, Alberto Fernández, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar