13:58 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    O Twitter classificou 300 mil postagens de usuários como enganosas no período das eleições presidenciais dos EUA, disse o presidente-executivo da empresa, Jack Dorsey, nesta terça-feira (17).

    A declaração de Dorsey foi feita durante uma audiência no Senado dos EUA realizada para questionar os CEOs de empresas de mídia social, incluindo o Facebook, sobre a conduta de suas empresas durante o período eleitoral.

    "Aplicamos etiquetas para adicionar contexto e limitar o risco de disseminação de informações eleitorais prejudiciais sem contexto importante porque o público nos disse que queria que tomássemos essas medidas", disse Dorsey durante a audiência.

    Ainda segundo o empresário, o período em que as postagens foram avaliadas foi entre 27 de outubro e 11 de novembro e as 300 mil sinalizações representam 0,2% do total de mensagens relacionadas às eleições norte-americanas.

    Em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mexe em seu celular durante um evento com governadores para discutir a reabertura de pequenos comércios em meio à pandemia da COVID-19, em 18 de junho de 2020.
    © AP Photo / Alex Brandon
    Em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mexe em seu celular durante um evento com governadores para discutir a reabertura de pequenos comércios em meio à pandemia da COVID-19, em 18 de junho de 2020.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, funcionários da Casa Branca e seus aliados republicanos acusaram o Twitter e o Facebook de penalizarem injustamente as postagens tanto do presidente como de seus apoiadores durante a eleição. Diversas postagens de Trump foram sinalizadas como enganosas durante o período eleitoral.

    Dentre as 300 mil postagens que foram rotuladas, um total de 456 foram cobertas por uma mensagem de aviso e tiveram recursos de engajamento limitados. Nesses casos, os tweets podiam ser compartilhados com citações, mas não republicados, respondidos ou curtidos, acrescentou Dorsey.

    Cerca de 74% do público viu as postagens depois de elas terem sido rotuladas e houve uma redução estimada de 29% nas citações das publicações sinalizadas, acrescentou.

    Mais:

    Após denúncia de censura, republicanos querem o depoimento de Facebook e Twitter no congresso
    Salles tem conta no Twitter apagada depois de chamar Maia de 'Nhonho', mas nega autoria
    Eleições nos EUA: tanto Trump quanto Biden falam no Twitter sobre vitória
    Tags:
    Donald Trump, Facebook, Jack Dorsey, Twitter
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar