20:40 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    7423
    Nos siga no

    Ex-secretário de Estado norte-americano avalia saída dos Estados Unidos do tratado de mísseis assinado com a União Soviética.

    A retirada dos EUA do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, na sigla em inglês), firmado entre Washington e Moscou em 1987, foi um "erro gigantesco", opina o ex-secretário de Estado George Shultz, em uma entrevista para o New York Times.

    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987
    © Sputnik / Yuri Abramochin
    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987
    "Não somente perdemos o acordo, mas também perdemos todas as disposições de verificação em que trabalhamos tão duro, comentou Shultz, que ocupou o posto entre 1982 e 1989.

    "A impressão é que estamos em um estado de perturbação em que é difícil fazer as coisas acontecerem", observou, lamentando a alergia da administração Trump quanto a acordos internacionais.

    "Eles [administração Trump] parecem céticos em relação a estes acordos, em relação a qualquer acordo. Os acordos geralmente não são perfeitos. Você não consegue tudo o que quer. Você se compromete um pouco, mas eles são muito melhores do que nada", comentou Shultz sobre o abandono do tratado pelo seu país.

    Washington se retirou definitivamente do Tratado INF em agosto de 2019. Apenas três semanas após a saída, os EUA realizaram um teste com mísseis cujo desenvolvimento estava proibido pelo documento, demonstrando ter criado esse armamento ainda durante a vigência do tratado.

    Mais:

    Saída dos EUA do Tratado INF foi planejada com antecedência, diz Ministério da Defesa russo
    Reação americana? Conheça os mísseis testados pelos EUA após fim do INF
    Militares americanos realizam teste de míssil balístico intercontinental no Pacífico (VÍDEO)
    Tags:
    Donald Trump, Rússia, tratado, míssil, EUA, INF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar