18:43 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    10233
    Nos siga no

    Uma explosão atingiu uma unidade de destilação da Amuay, a maior refinaria da Venezuela, na última terça-feira (27). O presidente do país, Nicolás Maduro, atribuiu hoje (28) o incidente a um suposto atentado contra a companhia.

    De acordo com o presidente venezuelano, a refinaria foi atacada com uma arma que derrubou "uma torre de espessura superior a um tanque de guerra".

    Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (28), Maduro instruiu sua equipe de governo a revelar as evidências do suposto ataque terrorista contra a refinaria de Amuay.

    "A Venezuela está enfrentando situações de complô, conspiração permanente, contra nossa vida, contra nossa indústria estratégica, contra o serviço elétrico, as refinarias e a indústria petrolífera", disse.

    Presidente Nicolás Maduro denuncia um atentado terrorista contra a principal refinaria do país, Amuay, no estado de Falcón. Ele garante que dois estrangeiros detidos em Zulia pretendiam matar líderes sociais.

    Além disso, Nicolás Maduro acusou o governo dos Estados Unidos de estar por trás das conspirações contra a Venezuela, em cumplicidade com a Europa e outros países.

    Em setembro, o governo venezuelano também denunciou supostos planos conspiratórios contra as instalações de petróleo. As acusações resultaram na prisão de dois cidadãos norte-americanos.

    Mais:

    Maduro afirma que Colômbia treina 'mais de mil' mercenários para sabotar eleições na Venezuela
    Venezuela recebeu avião do Irã sancionado pelos EUA, diz Reuters
    Venezuela condena Espanha por facilitar fuga de Leopoldo López
    Inteligência de Venezuela conduz busca em residência de diplomatas espanhóis após fuga de opositor
    EUA prometem eliminar mísseis iranianos que chegarem à Venezuela
    Tags:
    petróleo, refinaria, ataque, terrorismo, terrorista, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar