08:45 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 34
    Nos siga no

    A Procuradoria Anticorrupção do Peru considera necessário ouvir o presidente eleito da Bolívia, Luis Arce, como testemunha nas investigações de corrupção da Lava Jato contra o atual chefe de Estado peruano, Martín Vizcarra.

    "A Procuradoria Supraprovincial Anticorrupção considerou necessário o testemunho do presidente eleito da Bolívia, Luis Arce Catacora, como parte da investigação preliminar que iniciou pelo caso Lomas de lIo, que envolveria o chefe de Estado, Martín Vizcarra", informou nesta quarta-feira (21) a rádio peruana RPP em seu site. 

    O presidente do Peru está sendo investigado depois que um delator confessou à Procuradoria que teria recebido US$ 235 mil (cerca de R$ 1,316 milhão, na cotação atual) da empresa local Obrainsa, em troca da concessão da obra de irrigação Lomas de Ilo, situada no departamento de Moquegua, no sul do país.

    Esse pagamento ilícito teria acontecido em 2013, quando o atual chefe de Estado era governador de Moquegua. 

    Segundo o testemunho do delator, Arce teria ido ao porto de Ilo em 2013, em Moquegua, a pedido de Vizcarra, em um pequeno avião alugado pela Obrainsa.

    A Procuradoria solicitará, através da coordenação de cooperação jurídica internacional, que Arce faça seu depoimento por videoconferência, sobre as circunstâncias em torno da citada viagem.

    A Obrainsa fez parte do chamado Clube da Construção, um grupo de empresas que se alternavam na concessão de obras públicas no Peru dentro do caso Lava Jato.

    Mais:

    Luis Arce, apoiado por Evo, é 1º candidato a votar nas eleições da Bolívia
    Lava Jato investiga possível fraude de R$ 100 mi na Petrobras
    Congresso do Peru aprova pedido de destituição do presidente do país por corrupção
    Tags:
    Bolívia, Peru, Lava Jato, corrupção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar