19:28 23 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (78)
    0 36
    Nos siga no

    O presidente do país sul-americano mencionou um grande aumento de casos do coronavírus nas zonas rurais argentinas, o que inclusive afetou o transporte de mercadorias.

    O novo coronavírus está se espalhando "com enorme ferocidade" no interior da Argentina, advertiu no domingo (11) o presidente Alberto Fernández em uma entrevista ao jornal El Cohete a la Luna.

    "Entre agora e o final do ano temos que conter [a disseminação], porque a pandemia não acabou, está em sua pior expressão agora. Estamos vivendo isso com um pouco mais de alívio na Região Metropolitana de Buenos Aires, mas no interior [do país] ela se espalhou com enorme ferocidade", disse Fernández, seguido pelo comentário do entrevistador, que refere a Argentina se aproximar de 500 mortes diárias.

    O presidente argentino mencionou também as consequências causadas pela pandemia nas áreas rurais.

    "[...] No interior, os preços são um tema mais complicado por tenderem a crescer devido ao custo do transporte. Em Buenos Aires são produzidos muitos alimentos que vão para o interior e acontecem coisas ilógicas. Que as vacas sejam ordenhadas em Córdoba [centro do país], o leite venha para Buenos Aires [leste do país], seja elaborado aqui e volte para Córdoba processado. Estes são custos adicionais que têm um impacto muito negativo no interior."

    Na província central de Buenos Aires, a maior do país, o número de leitos de terapia intensiva cresceu de 790 em dezembro para quase 2.100, de acordo com o presidente.

    "No ponto de máxima tensão, cerca de 1.500 leitos estavam ocupados", disse.

    O governo federal forneceu mais de três mil leitos de terapia intensiva em todo o país, somando aos abastecidos pelos líderes regionais e locais, comentou Alberto Fernández.

    A Argentina registrou seu primeiro caso da COVID-19 em 3 de março, e já relatou mais de 894.000 casos de infecção, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, EUA. Já são quase 24.000 mortes pela doença na Argentina.

    Tema:
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (78)

    Mais:

    Vacina russa Sputnik V desperta interesse em outro país da América Latina
    Argentina continuará em quarentena ao menos até 20 de setembro
    Buenos Aires solicita ajuda à Rússia no combate ao coronavírus
    Tags:
    Córdoba, Buenos Aires, província de Buenos Aires, COVID-19, Alberto Fernández, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar