07:07 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (78)
    0 41
    Nos siga no

    As autoridades locais apontam que ainda é muito cedo para determinar se a conjunção desses dois vírus pode causar uma doença mais grave.

    Uma mulher de 54 anos foi a primeira a testar positivo simultaneamente para H1N1 (Influenza A) e COVID-19 no México. O anúncio foi realizado por José Luis Alomía, diretor-geral de Epidemiologia do país, no último domingo (11) durante coletiva com a imprensa.

    Alomía explica que a mulher tem antecedentes de câncer, obesidade e doenças crônicas do pulmão. "Nós mencionamos [esses antecedentes] porque logicamente, como sabem, são fatores de risco que uma pessoa permite que, neste caso, ambos os vírus possam desenvolver doenças graves", afirmou.

    A paciente começou a apresentar sintomas no final de setembro e testou positivo para SARS-CoV-2 no início de outubro. A mulher foi internada e recebeu alta três dias depois, sem necessidade de intubação, segundo Alomía.

    Todavia, a paciente voltou a ter febre alta e mal-estar, por isso voltou a ser internada e em 10 de outubro foi identificada a presença de H1N1. "Algo que não sabemos até agora, porque não há muita bibliografia ou estudos de caso relatados […] [é se] esta conjunção de dois vírus poderia produzir uma doença mais séria", comentou o diretor-geral da Epidemiologia do México.

    Atualmente, existem 817.503 infectados pelo novo coronavírus no México e 83.781 óbitos.

    Tema:
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (78)

    Mais:

    Curva de COVID-19 na Rússia deve se achatar nos próximos 10 ou 20 dias
    Prudência em xeque: tratamento de Trump contra COVID-19 afetaria sua conduta no uso de arma nuclear?
    Tweet de Trump sobre ser 'imune' à COVID-19 é marcado como informações 'potencialmente nocivas'
    Vaticano confirma primeiros casos de COVID-19 na Guarda Suíça
    Tags:
    H1N1, novo coronavírus, COVID-19, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar