06:04 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    COVID-19 no mundo no início de outubro (66)
    10661
    Nos siga no

    O governo da Venezuela comemorou ter recebido nesta sexta-feira (2) o primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra COVID-19. A vice-presidente venezuelana Delcy Rodríguez fez um pronunciamento para Rede Telesur e celebrou a parceria com o governo da Rússia.

    "A Sputnik V é um alívio para a humanidade que está enfrentando a pandemia COVID-19", disse a vice-presidente da Venezuela após receber o primeiro lote da vacina. Ela celebrou também a cooperação entre seu país e a Rússia na fase III do desenvolvimento da Sputnik V.

    Chega o carregamento com a vacina russa Sputnik V à Venezuela, o primeiro país da América Latina a recebê-la. A entrega foi feita pelo ministro russo Aleksei Seredin para a vice-presidente Delcy Rodríguez, o ministro das Relações Exteriores Jorge Arreaza e o ministro da Saúde.

    ​"Este é um evento que não hesitamos em classificar como histórico para nossa pátria [...] estamos recebendo da nossa querida irmã Rússia o primeiro lote de vacinas Sputnik V [...] Não posso esconder a emoção ao constatar que Venezuela é o primeiro país do Hemisfério Ocidental a participar da fase III dos ensaios clínicos desta vacina", disse a vice-presidente por meio do canal estatal venezuelano de televisão, a Telesur.

    É um dia histórico para toda a Venezuela, estamos aqui no Aeroporto Internacional Simón Bolívar, é um evento que não hesitamos em classificar como histórico para a nossa Pátria.

    A vice-presidente acrescentou que a Venezuela está entre os países que vão produzir a vacina russa contra COVID-19, assim que forem concluídas as fases de pesquisa científica.

    "Queremos também confirmar que não vamos apenas participar dos ensaios clínicos da fase III do Sputnik V, mas também, graças à cooperação estratégica entre a Venezuela e a Rússia, vamos participar do abastecimento seguro para nosso povo e também no produção da vacina na Venezuela".

    O ministro da Saúde da Venezuela, Carlos Alvarado, informou que cerca de dois mil venezuelanos participarão da fase III do ensaio da Sputnik V. Ele especificou que os testes começarão nos próximos dias em Caracas.

    A Sputnik V gera até dois anos de imunidade, segundo seus desenvolvedores. A vacina é composta por dois componentes: o primeiro é baseado no adenovírus humano tipo 26, e o ​​segundo é no adenovírus humano recombinante tipo 5. O medicamento é administrado duas vezes, com intervalo de 21 dias. O medicamento passou em duas fases de testes, e a terceira e última já está sendo realizada.

    Delcy Rodríguez ainda afirmou que "é impossível para o mundo não reconhecer o papel que a Rússia desempenhou na Segunda Guerra Mundial ao derrotar o fascismo; e, hoje, a Rússia é novamente a primeira na fila para trazer alívio, saúde e vida através da primeira vacina registrada contra COVID-19".

    Tema:
    COVID-19 no mundo no início de outubro (66)

    Mais:

    Rússia fecha acordo de fornecimento de até 35 milhões de doses da Sputnik V ao Uzbequistão
    Vacina russa Sputnik V será fornecida para 25% da população do Egito
    Joe Biden testa negativo para COVID-19
    Sputnik V: vacina apresenta resultado promissor durante testes na Bielorrússia, segundo Moscou
    Tags:
    vacina, Venezuela, Rússia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar