15:27 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    816
    Nos siga no

    Os Estados Unidos estão oferecendo recompensas de até US$ 20 milhões (cerca de R$ 113 milhões) no total por informações que levem à prisão de três ex-funcionários públicos venezuelanos.

    A informação foi publicada por meio de comunicado oficial do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta terça-feira (29). Pompeo também comentou a iniciativa em suas redes sociais.

    ​Hoje os EUA anunciaram recompensas por informações sobre ex-funcionários públicos da Venezuela, responsáveis por facilitar o tráfico internacional de narcóticos. Nós continuaremos trabalhando com o Departamento de Justiça dos EUA para proteger os cidadãos estadunidenses e ajudar os venezuelanos a restaurar sua democracia.

    As recompensas são voltadas às informações que ajudem a prender os venezuelanos Pedro Luis Martin-Olivares, Rodolfo McTurk-Mora e Jesus Alfredo Itriago.

    "Hoje, o Departamento de Estado dos EUA anuncia recompensas de até US$ 10 milhões [cerca de R$ 56 milhões] por informações que levem à prisão e/ou condenação do cidadão venezuelano Pedro Luis Martin-Olivares e até US$ 5 milhões [cerca de R$ 28 milhões] cada por informações que levem às prisões e/ou condenações dos venezuelanos Rodolfo McTurk-Mora e Jesus Alfredo Itriago", disse Pompeo, conforme a publicação

    Segundo o Departamento de Estado dos EUA, Martin-Olivares é um ex-chefe de Inteligência Econômica que foi indiciado em abril de 2015 na Flórida por distribuição de substância controlada - sabendo que seria importada ilegalmente para os EUA -, assim como conspiração e porte com intenção de distribuição de uma substância controlada a bordo de aeronave registrada em território norte-americano.

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, (à direita), cumprimenta o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, (à esquerda) em Washington, no dia 6 de fevereiro de 2020
    © AP Photo / Luis M. Alvarez
    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, (à direita), cumprimenta o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, (à esquerda) em Washington, no dia 6 de fevereiro de 2020

    Já McTurk-Mora, ex-chefe da Interpol na Venezuela, foi acusado no mesmo estado norte-americano, em 19 de dezembro de 2013 de conspiração e importação de cocaína para os EUA, porte com intenção de distribuição da droga, corrupção e impedimento de oficial "em violação à lei dos EUA", conforme acrescentou o secretário Pompeo.

    Ainda segundo o comunicado, além de Martin-Olivares e MacTurk-Mora, o funcionário antidrogas da Venezuela, Jesus Alfredo Itriago, foi acusado na Flórida, em janeiro de 2013, por conspiração para distribuir substância controlada sabendo que seria importada de forma ilegal para os EUA.

    Mais:

    Pompeo diz que melhor ajuda à Venezuela durante pandemia seria 'recuperação da democracia'
    Pompeo está realizando 'turnê de guerra' para ganhar votos à custa da Venezuela, diz Maduro
    Pompeo: Cuba, Rússia e Irã exercem 'influência maligna' sobre Venezuela
    Tags:
    Estados Unidos, Departamento de Justiça dos EUA, Departamento de Estado dos EUA, Mike Pompeo, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar