05:16 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4928
    Nos siga no

    EUA impuseram restrições às exportações destinadas à SMIC – o maior produtor de semicondutores da China – ao concluir que existe um "risco inaceitável" de que o equipamento fornecido possa ser utilizado para fins militares.

    De acordo com uma resolução do Departamento de Comércio dos EUA de sexta-feira (25), à qual a Reuters teve acesso, os fornecedores de determinados equipamentos terão agora de solicitar licenças individuais de exportação para enviar produtos para a Corporação Internacional de Fabricação de Semicondutores (SMIC, na sigla em inglês).

    A SMIC assegurou em comunicado que não recebeu nenhum aviso oficial sobre as restrições. Contudo, afirmou que "não tem qualquer relação" com o Exército chinês e que fornece serviços "apenas para utilizadores finais e utilizações finais civis e comerciais".

    Pela sua parte, o Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos EUA se recusou a fazer comentários sobre a SMIC, enfatizando que está "monitorando e avaliando constantemente qualquer ameaça potencial à segurança nacional e aos interesses da política externa dos EUA".

    No início de setembro o Departamento de Defesa americano tinha anunciado que estava trabalhando com outras agências para "determinar se as ações à SMIC justificavam sua inclusão na Lista de Entidades do Departamento de Comércio", por alegadas ligações com o Exército da China.

    Mais:

    Huawei pode deixar mercado de smartphones devido a bloqueio dos EUA, diz especialista
    Projeto de lei do governo alemão poderá excluir Huawei de redes 5G
    Por que Alemanha escolhe Huawei apesar da pressão dos EUA?
    Tags:
    indústria militar, Exército da China, restrições, sanções econômicas, China, Departamento de Comércio dos EUA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar