03:58 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    261
    Nos siga no

    Supremacistas brancos são, atualmente, a maior ameaça extremista dentro dos Estados Unidos, segundo afirmou hoje (23) o secretário em exercício do Departamento de Segurança Interna dos EUA.

    Atuando interinamente na pasta desde novembro, Chad Wolf participa nesta quarta-feira (23) de uma audiência no Senado para confirmar sua nomeação ao cargo de secretário.

    Durante essa audiência, ao comentar a violência extremista doméstica, o funcionário do governo norte-americano disse, segundo a Reuters, que os supremacistas brancos são a ameaça extremista mais persistente nos Estados Unidos, citando, ao mesmo tempo, um recente caso de ataque a um tribunal de Portland, Oregon, supostamente cometido por ativistas de "ideologia anarquista". 

    ​A audiência de confirmação do secretário ocorre em meio a grandes polêmicas envolvendo seu nome. Em matéria publicada nesta manhã, a NBC revelou que uma empresa de consultoria que tem a esposa de Wolf como executiva recebeu mais de US$ 6 milhões (R$ 33,5 milhões) em contratos firmados junto ao Departamento de Segurança Interna dos EUA desde 2018, mesmo ano em que ele se tornou chefe de gabinete da então secretária Kirstjen Nielsen.

    Também hoje (23), a Anistia Internacional divulgou uma nota pedindo a suspensão da nomeação de Chad Wolf por conta do possível envolvimento do funcionário em violações dos direitos humanos de imigrantes. A organização solicitou que o processo fosse interrompido até o final das investigações sobre essas suspeitas. 

    Mais:

    Nova York anuncia toque de recolher devido aos protestos contra o racismo
    Marcha de supremacistas brancos reúne centenas no Tennessee
    Supremacista branco será executado nos EUA por assassinato brutal de homem negro
    Tags:
    ameaças, extremismo, violência, ideologia, racismo, EUA, Estados Unidos, supremacistas brancos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar