05:31 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1375
    Nos siga no

    Em decisão publicada neste domingo (20), uma juíza da Califórnia bloqueou temporariamente a tentativa do governo dos Estados Unidos de impedir os downloads do aplicativo chinês de mensagens WeChat.

    A juíza Laurel Beeler acolheu uma ação movida por usuários do aplicativo que questionava a decisão do presidente Donald Trump de bloquear o WeChat. A magistrada entendeu que o bloqueio significa limitar os direitos constitucionais da Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos, que prevê o direito à liberdade de expressão. 

    "A proibição do WeChat elimina todo acesso significativo à comunicação na comunidade dos reclamantes. O interesse público favorece a proteção dos direitos constitucionais dos reclamantes", destacou Beeler em sua decisão. 

    A juíza ainda afirmou que o governo poderia tomar outras medidas antes de uma suspensão dos downloads, como limitar o uso do aplicativo em dispositivos do governo e tomar outras medidas para garantir a segurança digital dos usuários. 

    Em mais um episódio da crescente tensão entre Washington e Pequim, Trump assinou ordens executivas no dia 7 de agosto determinando o prazo de 45 dias para que as empresas dos Estados Unidos deixem de fazer negócios com duas companhias chinesas: ByteDance, proprietária do TikTok, e Tencent, proprietária do WeChat. A Casa Branca também determinou que as operações do TikTok no país devem ser vendidas.

    De acordo com a empresa Apptopia, o WeChat teve uma média de 19 milhões de usuários ativos diários nos Estados Unidos em agosto.

    Mais:

    Agentes dos EUA interceptam pacote com veneno enviado para Trump
    'Isolamento máximo': Irã comemora fracasso dos EUA em restaurar sanções da ONU
    EUA ameaçam punir quem se opuser ao restabelecimento de sanções contra o Irã
    EUA oferecem à Rússia renovação do Tratado START por menos de 5 anos
    Membro do Departamento de Estado dos EUA se encontrará com oposição da Bielorrússia na Lituânia
    Tags:
    justiça, China, Donald Trump, aplicativo, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar