04:18 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    14549
    Nos siga no

    Militar pede que compradores latino-americanos tenham cuidado ao fazer negócio com russos e chineses, que não seriam transparentes em suas decisões políticas e comerciais.

    O tenente-general da Força Aérea dos EUA Michael Plehn afirmou durante uma conferência na quarta-feira (9) que o envolvimento crescente da Rússia e da China na América Latina poderia ter consequências, até mesmo comparando o comportamento desses países ao tipo de organização criminosa transnacional que o Comando Sul dos Estados Unidos combate regularmente.

    "Eu reforçaria o ponto de que os EUA obtêm enormes benefícios de segurança de um Hemisfério Ocidental pacífico, estável e seguro. […] Mas, no que diz respeito à competição entre grandes potências, a China e a Rússia não valorizam as mesmas coisas que nossas democracias ocidentais valorizam", comentou Plehn de acordo com o portal Defense News.
    China espera que a Nova Rota da Seda derrube barreiras comerciais e de investimento
    © flickr.com / Trey Ratcliff
    China espera que a Nova Rota da Seda derrube barreiras comerciais e de investimento

    "Eles prosperam [China e Rússia] como organizações criminosas transnacionais em decisões políticas e comerciais não transparentes. Eles usam isso para maior vantagem deles", assegurou o tenente-general.

    Cuidado, compradores

    Michael Plehn deixa um alerta para os latino-americanos que pretendem fazer negócios com ambos os países: "portanto, comprador, cuidado, se você fizer negócios com eles [chineses e russos], certifique-se de ler as letras pequenas, porque eu garanto que o contrato não foi escrito com a segurança e estabilidade do Hemisfério Ocidental em mente, mas com os interesses que eles desejam extrair de nós".

    A Rússia tem laços de longa data com Cuba, Venezuela e Nicarágua. A China, por sua vez, como parte de sua Nova Rota da Seda (Belt and Road Initiative), tem investido em projetos na América Latina, com o presidente chinês Xi Jinping estabelecendo metas de até US$ 250 bilhões (R$ 1,3 trilhão) para projetos de infraestrutura.

    Mais:

    'Mendoexit': poderia América Latina ver nascer novo país?
    Mercado Livre: gigante do e-commerce e fintech na América Latina vence pandemia
    América Latina tem 7 milhões de casos de COVID-19
    Rússia negocia fabricação de medicamentos contra COVID-19 na América Latina
    Tags:
    Nova Rota da Seda, EUA, América Latina, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar