04:33 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)
    281
    Nos siga no

    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, garantiu neste domingo (6) que, apesar da pandemia do coronavírus e de tentativas de "sabotagem", eleições parlamentares vão ocorrer de qualquer maneira. 

    "Que ninguém venha nos falar de suspender eleições, ninguém no mundo", afirmou o líder chavista durante um ato do governo transmitido pela televisão, segundo a agência AP. 

    Segundo Maduro, a Constituição venezuelana determina a realização do pleito no dia 6 de dezembro. "Na Venezuela estamos obrigados pela Constituição, chova, troveje ou relampeje, a realizar eleições em 6 de dezembro", afirmou o presidente. 

    O chefe de Estado disse ainda que em outros países ocorreram eleições em "meio a uma pandemia terrível". Maduro citou inclusive os Estados Unidos, que não adiaram a votação marcada para 3 de novembro para definir quem ocupará a Casa Branca no próximo mandato. 

    "Nós, com todas as medidas que estamos tomando, vamos chegar em uma situação muito melhor do que estamos agora", afirmou o líder. Maduro disse ainda que alguns setores locais querem "sabotar as eleições" e "impedir" a realização do pleito. 

    Capriles sugere adiamento da votação

    A declaração do chavista ocorre pouco tempo depois do ex-candidato presidencial Henrique Capriles pedir o adiamento do processo eleitoral para evitar o risco de aumento de infecções do novo coronavírus. Recentemente, Capriles rompeu com o posicionamento da oposição de boicotar o pleito. 

    A votação de 6 de dezembro elegerá novos membros da Assembleia Nacional, que passou a ser dominada pela oposição após as eleições de 2015. O ex-líder da Casa, Juan Guaidó, autoproclamou-se presidente interino da Venezuela em 2018, gesto que recebeu o apoio dos Estados Unidos e outros 50 países, entre eles o Brasil.

    Segundo levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins, a Venezuela registra 53.289 casos da COVID-19 e 428 mortes.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)

    Mais:

    Maduro agradece ao Irã por ajudar indústria petrolífera da Venezuela a superar sanções dos EUA
    Venezuela e Índia reforçam relações bilaterais e ampliam cooperação no setor energético
    Chanceler da Venezuela sugere 'ir até Pequim' se for preciso para restabelecer laços com o Brasil
    Tags:
    eleições, Assembleia Nacional, Juan Guaidó, EUA, Nicolás Maduro, Henrique Capriles, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar