16:04 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    140
    Nos siga no

    O projeto de reforma recebeu 40 votos a favor, enquanto 26 senadores votaram contra.

    O Senado da Argentina aprovou nesta quinta-feira (27) o projeto de lei que busca reforçar o Poder Judicial, com a unificação de foros e a criação de mais tribunais e procuradorias. A proposta recebeu 40 votos a favor e 26 contra.

    Trata-se de uma iniciativa que boa parte da oposição rechaça, por considerá-la um plano para garantir "impunidade" a ex-funcionários de governos anteriores acusados de corrupção.

    Centenas de manifestantes convocados pelas redes sociais realizaram um abraço simbólico com bandeiras da Argentina próximo ao Congresso do país, repudiando a aprovação da lei, apesar do risco que implica não respeitar o distanciamento social em meio à pandemia do coronavírus.

    ​Orgulhoso de ter vindo. Incrível

    Do ponto de vista do governo argentino, a nova lei é necessária para resolver um problema que o país arrasta há décadas, mas que se exacerbou durante a presidência de Mauricio Macri (2015-2019): a pressão que figuras do poder e a mídia hegemônica, a maioria de orientação conservadora, exercem sobre as decisões judiciais.

    Contudo, a própria Cristina Kirchner comentou que não considera este projeto uma reforma judicial, mas, como o nome indica, uma lei de "Organização e Competência da Justiça Federal", que busca modificar somente parte do sistema.

    "Sinceramente, creio que o país ainda merece uma verdadeira reforma judicial, que não é a que vamos debater nesta quinta-feira [26]", manifestou.

    A coalizão Juntos Pela Mudança, liderada pelo ex-presidente Macri, opunha-se à aprovação da reforma.

    Em 17 de agosto tinha havido outra mobilização de rechaço da iniciativa do governo, celebrada por Macri a partir da Suíça, onde exerce o cargo de presidente da Fundação FIFA.

    Mais:

    Mourão culpa Argentina, dribla Amazônia e diz que acordo UE-Mercosul pode 'fazer água'
    Argentina inicia formalmente negociações com FMI
    Argentina desenvolve medicamento para COVID-19 com soro equino
    Tags:
    Congresso, Cristina Kirchner, reforma, Judiciário, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar