02:36 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 80
    Nos siga no

    Em apenas 24 horas, o furacão aumentou sua energia em quase 70%, atingindo um tamanho que foi descrito pelas autoridades norte-americanas como "extremamente perigoso".

    A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) dos EUA publicou na quarta-feira (26) imagens de satélite que mostram os raios formados dentro do furacão Laura.

    ​Para a manhã dessa quarta-feira (26), dê uma olhada no furacão Laura com o satélite da NOAA enquanto a propagação do furacão explode com raios. A partir das 08h00 (09h00 no horário de Brasília), Laura tinha ventos de 185 km/h e estava se intensificando rapidamente no golfo do México.

    Com ventos de 185 km/h, o furacão Laura passou para a categoria quatro, a penúltima em escala que vai até cinco. Em apenas 24 horas, o furacão aumentou a energia em quase 70%, atingindo um tamanho que a NOAA descreveu como "extremamente perigoso".

    Na categoria quatro, o furacão Laura pode ser capaz de causar "danos catastróficos" e uma "onda de tempestade intransponível" ao longo das divisas estaduais Texas-Louisiana, explica a NOAA.

    "Pudemos ver ondas ciclônicas de mais de 4,5 metros de altura em algumas áreas", afirmou o especialista em furacões Stacy Stewart à agência de notícias AP. "O que não é levado pelo vento pode facilmente ser levado pelas águas do oceano, que empurram para o interior."

    Mais:

    Grande tubarão-branco surpreende pescador no golfo do México (VÍDEO)
    Golfo do México enfrenta desafio de novos vazamentos de petróleo
    Furacão Hanna derruba parte de muro entre EUA e México (VÍDEO)
    Lutando contra COVID-19, Flórida enfrenta ameaça de furacão
    Tags:
    raios, EUA, Golfo do México, furacão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar