15:07 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de agosto (58)
    4251
    Nos siga no

    No México foram realizadas perguntas sobre a credibilidade de vacinas produzidas na Rússia, EUA, França, Reino Unido e China, com a vacina russa ganhando a maior confiança.

    No México, as expectativas de que uma vacina contra o coronavírus esteja disponível em breve subiram de 27% para 36% entre 11 de julho e 15 de agosto, de acordo com uma recente pesquisa nacional realizada pelo jornal El Financiero.

    Apesar deste progresso nas expectativas, uma maioria (55%) continua acreditando que levará tempo para que uma vacina esteja pronta. O número é menor em 11 pontos porcentuais do que no mês passado, provavelmente por causa das notícias sobre os avanços no desenvolvimento de vacinas que surgiram nos últimos dias.

    Nesse período, o presidente russo Vladimir Putin anunciou que seu país já tem uma vacina pronta. Mais tarde, o presidente mexicano López Obrador anunciou que o México participaria da produção da vacina que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford e por um laboratório privado, e que consideraria a vacina russa Sputnik V.

    A pesquisa mostrou que 66% dos mexicanos expressaram "grande" ou "alguma" confiança na vacina produzida na Rússia, dos quais 32% disseram estar "muito" seguros sobre ela. A confiança total expressa sobre vacinas vindas de França, Reino Unido e EUA é de 65%, 63% e 60% dos entrevistados, respectivamente. "Grande" confiança no México em uma vacina dos Estados Unidos foi depositada por 31% das pessoas, 30% se vinda do Reino Unido, e 28% se vinda da França.

    Isto contrasta com a menor confiança na vacina produzida no México, com 22% dizendo que acreditam "muito" nela, embora pelo menos algum tipo de confiança seja expresso por 63% dos participantes, semelhantemente aos países europeus.

    A certeza na vacina chinesa é a menor de todas. Apenas 44% têm algum ou maior nível de confiança, e desses apenas 20% estão "muito" confiantes.

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de agosto (58)

    Mais:

    Epidemiologista-chefe da China parabeniza Rússia e chama a vacina Sputnik V de 'segura'
    Maduro diz que será 1º a ser vacinado contra COVID-19 para servir de exemplo à população
    'Especialistas russos são incríveis': famosa virologista sérvia afirma que aceitaria vacina russa
    Sem vacina contra COVID-19 nos EUA, Trump comenta Sputnik V: 'Espero que funcione'
    Tags:
    Sputnik V, Andrés Manuel López Obrador, México, Universidade de Oxford, Reino Unido, Inglaterra, França, EUA, China, Rússia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar