20:47 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)
    130
    Nos siga no

    O novo coronavírus está comprometendo a realização de programas de vacinação e atendimentos de doenças crônicas e infecciosas nas Américas, afirmou nessa terça-feira (4) a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Em entrevista semanal à imprensa, a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), Carissa Etienne, disse que a pandemia está reduzindo o atendimento para doenças como diabetes e doenças infecciosas, como HIV e tuberculose.

    "Esses serviços estão seriamente paralisados ou, pior ainda, paralisados completamente", declarou a diretora da OMS, citada pela Reuters.

    Segundo ela, "as Américas correm o risco de perder anos de ganhos em saúde em questão de meses".

    Carissa Erienne também alertou que o fornecimento de medicamentos está enfrentando gargalos. Onze países das Américas teriam menos de três meses de abastecimento de antirretrovirais para HIV, enquanto outros estão com falta de medicamentos para tuberculose.

    A diretora da OMS cobrou dos governos um aumento de gastos em saúde até pelo menos menos 6% do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo ela, a média atual de 3,7% não é suficiente.

    "Os países precisam se adaptar e se comprometer a fornecer simultaneamente esses serviços essenciais de atenção primária, ao mesmo tempo em que mitigam os efeitos da COVID-19", concluiu Carissa.
    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)

    Mais:

    Fracasso brasileiro contra COVID-19 deve 'aumentar resistência' a acordo entre Mercosul e UE
    Brasil registra 1.154 mortos pela COVID-19 e óbitos passam de 95 mil
    Sistema imunológico enfraquecido pode salvar da COVID-19, segundo estudo
    Tags:
    saúde pública, tuberculose, HIV, doenças graves, vacinação, OMS, Américas, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar