05:15 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1142
    Nos siga no

    Embarcações da China, Libéria, Panamá e de outros países navegam muito perto da Zona Econômica Exclusiva do arquipélago.

    Diante da presença de mais de duas centenas de embarcações de pesca de vários países nas proximidades da Zona Econômica Exclusiva (ZEE) das ilhas Galápagos, o Equador empreendeu ações a nível internacional para proteger o meio ambiente da região, bem como seus interesses nacionais no Pacífico.

    Assim, o chanceler do país latino-americano, Luis Gallegos, anunciou nesta segunda-feira (27) uma reunião com seus homólogos dos países ribeirinhos do Pacífico para expor a questão da pesca intensiva próximo das ilhas Galápagos e traçar "as futuras projeções de uma estratégia comum" para "defender a conservação e sustentabilidade dos recursos naturais".

    De acordo com o ministro, o governo expressou suas preocupações por via diplomática a Pequim, já que a maioria das embarcações na zona mencionada pertence a este país asiático. Porém, ao mesmo tempo, adicionou que há pescadores da Libéria e do Panamá.

    ​Protegemos Galápagos, Oswaldo Jarrín, ministro da Defesa do Equador, assegurou que nenhum navio ingressou na Zona Econômica Exclusiva do Equador.

    Por sua vez, o ministro da Defesa do Equador, Oswaldo Jarrín, indicou que os navios estrangeiros estão em um corredor que são águas internacionais e "jamais os navios entraram, nem podem entrar, pois conhecem a delimitação da ZEE" e existe um constante monitoramento da zona através de drones da Marinha equatoriana e do sistema de identificação automática dos navios.

    "Enquanto estão em águas internacionais, estamos em alerta, em vigilância, em patrulhamento para evitar que ocorra um incidente como o que aconteceu em 2017 e, se isso acontecer, serão capturados", declarou em referência ao navio chinês Fu Yuan Yu Leng 999, capturado nas águas da Reserva Marinha de Galápagos, com 300 toneladas de fauna marinha, sendo na maioria tubarões.

    O presidente do Equador, Lenín Moreno, anunciou em sua conta do Twitter que formou "uma equipe público-privada responsável por projetar uma estratégia de proteção de Galápagos e de respeito por seus recursos marítimos" e assegurou que seu governo vai trabalhar "em uma postura regional para defender e proteger a ZEE em torno da Reserva Marinha de Galápagos, uma das áreas mais ricas de pesca e um viveiro para o planeta inteiro".

    ​Vamos trabalhar em uma postura regional para defender e proteger a Zona Econômica Exclusiva em torno da Reserva Marinha de Galápagos, uma das áreas mais ricas de pesca e um viveiro para o planeta inteiro.

    A presença de aproximadamente 260 embarcações, entre pesqueiros, navios de abastecimento e de armazenamento, fora do limite da ZEE, foi detectada pela Marinha do Equador no dia 16 de junho. Os barcos continuam na área até o presente momento.

    Mais:

    Equador nega notícias sobre fossas comuns para mortos por coronavírus
    Equador registra 421 mortes por COVID-19 após confirmação de 18 novas vítimas
    Rafael Correa é condenado a 8 anos de prisão no Equador
    Tags:
    navios, barco pesqueiro, Marinha, Galápagos, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar