22:47 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    121115
    Nos siga no

    Os Estados Unidos gostariam de formar uma coalizão de países com o objetivo de convencer a China a mudar seu comportamento, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em entrevista coletiva em Londres nesta terça-feira (21).

    "Queremos que toda nação trabalhe contra esse tipo de atividade... Nós queremos que toda nação trabalhe junto para fazer força contra os esforços do Partido Comunista Chinês em todas as dimensões que eu acredito ter descrito para vocês hoje. E isso certamente inclui o Reino Unido, inclui todos os países", afirmou Pompeo. "Esperamos poder construir uma coalizão que entenda isso. Trabalharemos coletivamente para convencer o Partido Comunista Chinês de que não é do interesse de todos se engajar nesse tipo de comportamento".

    Pompeo chegou a Londres na segunda-feira (20) para conversar com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson e o secretário de Relações Exteriores Dominic Raab sobre a suposta ameaça representada pela China, entre outras questões.

    O Reino Unido é um dos países que impôs restrições contra a gigante tecnológica chinesa Huawei depois que os Estados Unidos impuseram sanções à empresa por supostamente trabalhar com o governo chinês. A Huawei rejeita as acusações e diz que as medidas foram tomadas por motivos políticos e injustificados. 

    Ao anunciar sua viagem à Europa, o secretário de Estado dos EUA afirmou que a recuperação econômica e um acordo comercial entre os dois países são outros pontos que também estão na agenda. 

    Após deixar o Reino Unido, Pompeo visitará a Dinamarca na quarta-feira (22). 

    Mais:

    'Orwelliana': Pompeo critica China por práticas de 'censura autoritária' em Hong Kong
    Pompeo e Araújo discutem combate à COVID-19 e recuperação da economia das Américas, diz porta-voz
    China tomou 'ação incrivelmente agressiva' em confronto armado com a Índia, diz Pompeo
    Pequim reage à fala de Pompeo e pede que os EUA não se intrometam no mar do Sul da China
    Demandas territoriais de Pequim no mar do sul da China são 'ilegais', diz Pompeo
    Tags:
    China, Estados Unidos, Reino Unido, Boris Johnson, Mike Pompeo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar