19:30 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    151
    Nos siga no

    O congressista norte-americano John Lewis, importante figura da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos, faleceu aos 80 anos, conforme anunciou a Câmara dos Representantes dos EUA nesta sexta-feira (17).

    Companheiro de Martin Luther King no movimento contra a segregação racial nos anos 1960, o deputado estava há mais de três décadas representando a Geórgia no parlamento americano. Desde o ano passado, enfrentava um câncer agudo no pâncreas.

    ​Essa é uma grande perda para a América e para todos que acreditam em tornar o mundo um lugar mais justo. John Lewis não apenas viu que o nosso país poderia ser melhor, ele nunca parou de trabalhar para que fosse desse jeito. Nós precisamos de líderes como ele mais do que nunca.

    Lewis foi um dos ativistas que organizaram as marchas de Selma para Montgomery, no Alabama, em 1965, para pedir o fim das leis de discriminação nos EUA. Ele e seus colegas foram atacados por soldados estaduais e outros extremistas no dia 7 de março daquele ano, em um evento conhecido como Domingo Sangrento.

    A violência contra os ativistas levou a um grande clamor em todo o país e contribuiu para a adoção da Lei dos Direitos de Voto ainda em 1965.

    Mais:

    Morre o senador dos EUA John McCain
    George Bush 'pai' morre aos 94 anos
    Jean Kennedy, irmã do 35° presidente dos EUA, morre aos 92 anos
    Episódios de segregação racial voltam a surgir na Europa
    Controversa lei de Israel consolida a 'segregação racial', diz Egito
    Tags:
    discriminação racial, discriminação, morte, câncer, Democratas, Câmara dos Representantes, Congresso dos EUA, Congresso, direitos civis, racismo, Geórgia, Alabama, EUA, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar