11:50 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2180
    Nos siga no

    O MRE chinês acusa Washington de espionagem a nível global, se referindo ao programa de vigilância PRISM da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA revelado por Edward Snowden.

    A China criticou os Estados Unidos na segunda-feira (13), chamando-os de "verdadeira sede global de hackers", depois que o conselheiro da Casa Branca, Peter Navarro, reafirmou, durante o fim de semana, suas afirmações sobre o aplicativo TikTok.

    Tocando uma variedade de ângulos antichineses, Navarro reiterou as afirmações durante uma entrevista ao Fox Business no domingo (12) que dados de usuários coletados pelo aplicativo TikTok "vão direto para servidores na China, direto para os militares chineses, para o Partido Comunista chinês".

    O conselheiro também afirmou que o TikTok, que é propriedade da empresa ByteDance, sediada em Pequim, e aplicativos chineses similares podem ser usados para "roubar informações pessoais e financeiras para chantagem e extorsão, eles podem ser usados para roubar propriedade intelectual comercial e segredos de propriedade".

    Embora Navarro não tenha fornecido provas sólidas para apoiar suas reivindicações, a China aproveitou a oportunidade na segunda-feira (13) para observar que os comentários do conselheiro são provavelmente apenas a "última entrada em seu livro de mentiras sem vergonha".

    Questionada sobre a entrevista para a Fox durante uma coletiva de imprensa, Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, respondeu inicialmente ao assunto perguntando se foi Navarro ou Ron Vara, um especialista fictício que Navarro citou em seus livros, que fez os comentários.

    "[Navarro] alegou que esses dados foram diretamente para servidores na China, para os militares chineses, para o Partido Comunista Chinês. Então que o prove. Se ele não pode, então é apenas a última entrada em seu livro de mentiras sem vergonha", disse Hua.

    "Os EUA são a verdadeira sede global dos hackers. São os Estados Unidos que há muito se engajam em ciberataques indiscriminados e generalizados, escutas e espionagem ao redor do mundo", continuou a diplomata chinesa.

    Hua destacou o programa de vigilância PRISM da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) dos EUA que foi usado para coletar comunicações de várias empresas de Internet norte-americanas, e que foi finalmente revelado ao público pelo empreiteiro de inteligência Edward Snowden.

    Edward Snowden
    © AFP 2020 / Frederick Florin
    Edward Snowden

    "Os EUA se orgulham de valores inigualáveis para outros, mas por que têm tanto medo de alguns aplicativos populares de compartilhamento de vídeo com os quais os jovens se divertem tanto? São realmente tão vulneráveis agora? Precisamos refletir sobre esta questão. Esperamos que Navarro e as autoridades norte-americanas relevantes falem e escutem seus jovens, caso contrário, o que eles fazem só os tornará motivo de riso", concluiu a porta-voz.

    Hostilidade norte-americana ao aplicativo

    Recentemente, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, revelou que a administração está considerando proibir uma variedade de aplicativos de redes sociais chinesas, incluindo o popular TikTok, nos EUA.

    A Índia também já proibiu 59 aplicativos desenvolvidos por empresas tecnológicas chinesas sob preocupações de segurança nacional em meio a tensões fronteiriças renovadas entre os dois países. De acordo com o portal TechCrunch, o pedido da Índia inclui a proibição do TikTok e dos aplicativos UC Browser e UC News do Grupo Alibaba, entre outros.

    A empresa de serviços financeiros Wells Fargo confirmou ao portal The Hill na segunda-feira (13) que ordenou aos funcionários que removessem o TikTok dos telefones de trabalho depois que foi descoberto que alguns trabalhadores tinham instalado o aplicativo nos dispositivos da empresa.

    "Devido às preocupações com os controles e práticas de privacidade e segurança do TikTok, e porque os dispositivos de propriedade corporativa devem ser usados somente para os negócios da empresa, instruímos esses funcionários a removerem o aplicativo de seus dispositivos", declarou a empresa.

    Um porta-voz do TikTok respondeu ao acontecido, dizendo que a empresa esperava que os funcionários da Wells Fargo estivessem abertos a discutir medidas tomadas pela empresa de rede social para proteger os dados dos usuários.

    A Wells Fargo confirmou o passo dias depois que as notícias surgiram pela primeira vez de que a Amazon havia decretado regras semelhantes para seus funcionários. No entanto, a Amazon revelou mais tarde que o e-mail da empresa sobre o assunto foi enviado por engano.

    Mais:

    Pequim reage à fala de Pompeo e pede que os EUA não se intrometam no mar do Sul da China
    Itamaraty não deveria se envolver na briga entre embaixadores da China e dos EUA, diz especialista
    Chancelaria da China anuncia sanções contra congressistas dos EUA
    EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado
    Tags:
    Partido Comunista, Partido Comunista da China, Prisma, Peter Navarro, Fox Business, Ministério das Relações Exteriores da China, Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, Edward Snowden, Mike Pompeo, Índia, Alibaba, Alibaba Group, TechCrunch, Amazon, Wells Fargo, nsa, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar