02:12 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)
    0 22
    Nos siga no

    O México chegou neste domingo (12) a marca de mais de 35.000 mortes causadas pela COVID-19, tornando-se o quarto país do mundo com mais óbitos provocados pela doença. 

    Anteriormente, a Itália era quarta nação do mundo com mais vítimas fatais provocadas pelo coronavírus. 

    Em primeiro lugar, aparecem os Estados Unidos, com mais de 135.000 mortes, seguidos pelo Brasil, com mais de 72.000, e Reino Unido, que tem quase 45.000 óbitos causados pela COVID-19. 

    Segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins, o México registrava no início da madrugada de segunda-feira (13) 35.006 mortes pelo coronavírus, enquanto a Itália tinha 34.954. 

    Em números de casos, o México registrava 299.750 pessoas infectadas pelo vírus. O país é o sétimo do mundo com maior número de casos, atrás de Estados Unidos, Brasil, Índia, Rússia, Peru e Chile.

    'Perdendo intensidade'

    Apesar dos números, o presidente mexicano, Manuel López Obrador, disse neste domingo (12) que a epidemia estava "perdendo intensidade" no país, segundo publicado pela agência Reuters. 

    Ele também acusou a "mídia conservadora" de causar alarmismo. O governo vem sendo criticado por promover a reabertura da economia neste momento.

    Nas últimas 24 horas, o país registrou 276 mortes e 4.482 novos casos da COVID-19.  

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)

    Mais:

    López Obrador: bem-estar social é mais importante do que crescimento econômico
    Mina de ocre mais antiga das Américas é descoberta no México (FOTO)
    Trump diz que quase 400 km do muro na fronteira com o México estão prontos
    Tags:
    Andrés Manuel Lopez Obrador, doença, mortes, Reino Unido, Brasil, Itália, México, COVID-19, pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar