12:58 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    51741
    Nos siga no

    Os Estados Unidos anunciaram hoje (26) a adoção de sanções contra autoridades chinesas alegando preocupação com a atual situação em Hong Kong e com a questão dos direitos humanos no país asiático.

    Washington vem pressionando Pequim por conta dos planos chineses de introduzir uma legislação contra a traição e outras atividades relacionadas à soberania nacional em Hong Kong, território que pertence à China mas que goza de ampla autonomia, inclusive com leis específicas.

    As sanções anunciadas nesta sexta-feira (26) pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, consistem em restrições de vistos para membros do Partido Comunista da China que os EUA consideram responsáveis, diretamente ou indiretamente, por minar o alto grau de autonomia de Hong Kong. 

    ​O presidente Donald Trump prometeu punir as autoridades do PCC [Partido Comunista da China] responsáveis pela evisceração das liberdades de Hong Kong. Hoje, estamos tomando medidas para fazer exatamente isso - anunciamos restrições de visto para funcionários do PCC responsáveis por minar a autonomia e os direitos humanos de Hong Kong.

    De acordo com os EUA, a nova lei de segurança nacional da região viola a Declaração Conjunta Sino-Britânica de 1984, na qual Pequim teria se comprometido a respeitar a autonomia de Hong Kong, o que, para Washington, não está ocorrendo.

    Antes disso, o governo americano, que vem adotando uma postura de confronto com a China nos últimos anos, já tinha criticado duramente a maneira como Pequim estava lidando com uma onda de protestos no território autônomo, enquanto o governo chinês, por sua vez, tem repetidamente acusado os Estados Unidos de se intrometer em assuntos internos do seu país.

    Mais:

    China alerta para alto risco de incidente naval com EUA, aponta relatório
    EUA ameaçam Rússia e China com isolamento na ONU em caso de bloqueio de sanções contra Irã
    Trump ameaça impor tarifas sobre frutos do mar importados da China
    Confusão dos EUA não deve trazer China para negociação sobre armas nucleares, diz analista
    Tags:
    Mike Pompeo, visto, vistos, Partido Comunista da China, Partido Comunista Chinês, Partido Comunista, PCC, sanções, Pequim, Washington, Ásia, EUA, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar