15:01 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    9704
    Nos siga no

    Embaixada iraniana na Venezuela afirmou que o navio carregado com alimentos tem chegada prevista para hoje (21), o que seria "um êxito nas relações entre os dois países", apesar da pressão dos EUA.

    Enquanto os EUA aplicam sanções contra a Venezuela e o Irã, a embaixada do país persa anunciou em sua conta no Twitter o envio de um navio de carga com alimentos de seu país para a Venezuela.

    Amanhã (domingo 21 de junho) vai chegar o navio Gosland que traz alimentos para inaugurar o primeiro supermercado iraniano na Venezuela. Outro êxito nas relações amistosas e fraternais entre os dois países.

    'Nova geopolítica de paz'

    Ainda em 9 de junho, a Venezuela recebeu kits de testes da COVID-19 do Irã por via aérea.

    Na ocasião, o ministro do Planejamento da Venezuela, Ricardo Menéndez Prieto, afirmou que a ajuda fazia parte "de uma nova geopolítica de paz, contra a visão imperialista que foi imposta ao mundo".

    Também entre os meses de maio e junho, pelo menos cinco navios-tanque iranianos com 1,53 milhão de barris de gasolina e outros hidrocarbonetos foram enviados pelo Irã ao país sul-americano, enquanto a Venezuela enfrenta escassez de combustível.

    Pressão americana

    Por sua vez, os EUA tentaram frustrar o fornecimento de gasolina à Venezuela ameaçando governos, empresas e portos que prestassem serviços aos petroleiros carregando o combustível em direção ao país.

    Também durante a última semana, os EUA aplicaram sanções contra duas empresas mexicanas envolvidas na troca de alimentos e água por petróleo da Venezuela.

    Mais:

    Marinha do Irã realiza lançamento de mísseis de cruzeiro em exercício no golfo de Omã (FOTOS, VÍDEO)
    Irã tem capacidade para enviar pelo menos 2 a 3 petroleiros por mês para Venezuela, relata Reuters
    Irã ameaça e pede que agência nuclear da ONU ignore relatório apresentado por Israel
    Tags:
    ajuda, navio-tanque, Irã, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar