08:32 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5235
    Nos siga no

    Autoridade financeira mexicana anunciou o congelamento de contas bancárias de cidadãos e empresas do país após EUA os sancionar por relações com a Venezuela.

    A decisão foi anunciada por Santiago Nieto, titular da Unidade de Inteligência Financeira do México.

    Segundo informou o portal Infobae, Nieto disse que a decisão alcança "todos aqueles" incluídos na lista do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA (OFAC, na sigla em inglês).

    Ainda na quinta-feira (18), o Departamento do Tesouro americano havia anunciado sanções contra cidadãos e empresas mexicanas por comercializar petróleo venezuelano.

    A medida faz parte do conjunto de políticas dos EUA de pressionar o governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro.

    Contas congeladas

    Desta forma, a decisão mexicana afeta diretamente os cidadãos já sancionados pelos EUA, Verónica Esparza Garcia, Olga María Zepeda Esparza, Joaquín Leal Jiménez, e as empresas Libre Abordo e Schlager Business Group.

    Tais empresas tinham iniciado um acordo de troca de petróleo por água potável e comida para a Venezuela.

    Tanto Libre Abordo como Schlager Bussiness Group começaram a receber petróleo venezuelano para sua revenda na Ásia ainda no final de 2019.

    Contudo, a desvalorização do petróleo acabou afetando o fornecimento de comida para a Venezuela pelas empresas, tendo o acordo entre o país e elas resultado somente no envio de 500 caminhões-tanque para água potável para o país sul-americano, segundo a mídia.

    Vale ressaltar que as empresas mexicanas afirmaram que a troca não violava as sanções americanas, visto que não se substanciava no recebimento de dinheiro pela Venezuela.

    Mais:

    EUA chamam de 'medida perigosa' possibilidade de México exportar gasolina à Venezuela
    Brasil adere às sanções dos EUA e Petrobras deixa de contratar petroleiros que foram à Venezuela
    Irã tem capacidade para enviar pelo menos 2 a 3 petroleiros por mês para Venezuela, relata Reuters
    Tags:
    petróleo, Nicolás Maduro, Venezuela, EUA, sanções, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar