16:10 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    41313
    Nos siga no

    Os Estados Unidos mantêm a opção de interromper completamente as relações com a China, disse o presidente Donald Trump.

    A declaração ocorre após o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, afirmar que cortar totalmente os laços entre as duas maiores economias do mundo pode ser impossível. 

    "Não foi culpa do embaixador Lighthizer (ontem no comitê) que talvez eu não tenha esclarecido, mas os EUA certamente mantêm uma opção política, sob várias condições, de uma dissociação completa da China", disse o presidente dos Estados Unidos. 

    Anteriormente, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse em comunicado que o principal diplomata da China se comprometeu a cumprir as obrigações de Pequim estabelecidas no acordo comercial entre os dois países. 

    O arranjo entre Washington e Pequim foi impactado pelo coronavírus, que surgiu na China e acabou impactando a economia global. Desde então, o acordo comercial teve uma implementação limitada devido ao cenário global incerto e as acusações do presidente Donald Trump de que Pequim é responsável pelo surto global do vírus.

    A China também ameaçou retaliação depois que Trump assinou lei que autoriza a sanção a funcionários chineses envolvidos na repressão aos uigures da China, uma minoria muçulmana do país asiático.

    Mais:

    Redução de exportação de carne australiana à China pode beneficiar o Brasil, diz economista
    Vulcão na China estaria se 'recarregando', afirmam cientistas
    China confirma 28 novos casos da COVID-19, sendo 21 em Pequim
    Rússia e China colocam em risco superioridade dos EUA no espaço, afirma Pentágono
    Sanções americanas farão Rússia ultrapassar China na produção de ouro até 2029, projeta Fitch
    Tags:
    economia, Donald Trump, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar