13:45 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1171
    Nos siga no

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro revelou nesta segunda-feira (1º) que planeja visitar o Irã em um futuro próximo para assinar novos acordos de cooperação com a República Islâmica.

    "Em breve estarei no Irã, na Comissão Mista de Alto Nível, para assinar acordos de cooperação energética, financeira, militar, agrícola, tecnológica e de saúde", afirmou Maduro durante uma videoconferência nacional.

    O presidente venezuelano fez esse anúncio no mesmo dia em que o quinto e último navio iraniano com carga de combustível entrou nas águas territoriais da Venezuela.

    O fornecimento faz parte de um acordo de cooperação que a Venezuela chegou ao Irã para lidar com a escassez de gasolina.

    No sábado (30), Maduro anunciou que uma nova era de distribuição de hidrocarbonetos no país começa nesta segunda-feira (1º), que inclui o aumento do preço da gasolina subsidiada para cinco mil bolívares (equivalente a US$ 0,025) e a um preço internacional de US$ 0,50 centavos. O transporte público e de carga será subsidiado em 100%, para evitar afetar o preço do bilhete.

    Funcionário da companhia de petróleo venezuelana PDVSA levanta bandeira do Irã após chegada de navio iraniano com combustível na Venezuela
    © AFP 2020 / -
    Funcionário da companhia de petróleo venezuelana PDVSA levanta bandeira do Irã após chegada de navio iraniano com combustível na Venezuela

    Com esse aumento, os venezuelanos pagarão cerca de US$ dois (R$ 10,73) por 80 litros de gasolina.

    Na Venezuela, um litro de combustível de 95 octanas custa 0,00006 bolívares e um dos 91 custa 0,00001 bolívares em um país onde o dólar comercializa nas ruas a 195 mil bolívares (R$ 5,3) por unidade.

    Nos últimos anos, o preço do combustível permaneceu congelado, apesar do fato de que entre 2016 e 2019 o Banco Central da Venezuela registrou inflação de mais de 53.798.500%.

    Mais:

    Incapacidade dos EUA em deter ajuda petrolífera do Irã à Venezuela poderia ser 'momento Suez'?
    EUA ameaçam portos, empresas e governos caso ajudem petroleiros iranianos em direção à Venezuela
    Teerã diz estar pronta para continuar envio de petróleo à Venezuela se Caracas solicitar
    Tags:
    relações bilaterais, gasolina, cooperação, preço do petróleo, petróleo, Nicolás Maduro, Irã, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar