12:43 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    82010
    Nos siga no

    Nesta segunda-feira (1º), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, realizou um pronunciamento e ameaçou enviar militares às ruas do país para conter os protestos contra o racismo.

    O presidente norte-americano afirmou que as ruas dos EUA foram tomadas por "anarquistas profissionais", criticando duramente as manifestações.

    "Nossa nação foi dominada por anarquistas profissionais, multidões violentas, incendiários, saqueadores, criminosos, manifestantes, Antifa e outros", disse Trump no jardim da Casa Branca, ao mesmo tempo em que protestos ocorriam nos arredores.

    Enquanto Trump realizava o pronunciamento, manifestações eram reprimidas na região da Casa Branca, sendo possível ouvir explosões. O jornalista Jim Acosta registrou o momento e publicou em sua conta no Twitter.

    Nós podemos ouvir as explosões das ruas enquanto Trump fala no Jardim das Rosas.

    Assim como já havia afirmado em sua conta no Twitter, o presidente estadunidense classificou as manifestações como atos de terrorismo.

    "Estes não são atos de protesto pacífico, são atos de terror", disse Trump. "Não podemos permitir que os gritos justos e os manifestantes pacíficos sejam abafados por uma multidão enfurecida", acrescentou.

    Trump também ameaçou enviar os militares às ruas para "resolver o problema rapidamente".

    "Se uma cidade ou estado se recusar a tomar ações necessárias para defender a vida e a propriedade de seus residentes, então eu enviarei as Forças Armadas rapidamente e rapidamente resolverei o problema para eles", disse Trump.
    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, passa em frente a pichações enquanto caminha da Casa Branca em direção à Igreja Episcopal e St. John, após pronunciamento sobre protestos contra o racismo e a morte de George Floyd.
    © REUTERS / Tom Brenner
    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, passa em frente a pichações enquanto caminha da Casa Branca em direção à Igreja Episcopal e St. John, após pronunciamento sobre protestos contra o racismo e a morte de George Floyd.

    Os EUA foram tomados nos últimos dias por manifestações contra o racismo, deflagradas após o assassinato de George Floyd pela polícia da cidade de Minneapolis. Floyd, um homem negro, estava desarmado e rendido quando foi asfixiado até a morte por policiais. Os EUA tem um longo histórico de violência e segregação racial, um contexto que fez a morte de George Floyd servir de estopim para a revolta contra a contínua desigualdade social e racial no país.

    Mais:

    Protestos nos EUA: Casa Branca diz que Guarda Nacional deve 'dominar as ruas'
    Nova York anuncia toque de recolher devido aos protestos contra o racismo
    Trump deixa a Casa Branca a pé enquanto a polícia enfrenta manifestantes na região (FOTOS)
    Tags:
    Casa Branca, Washington, Estados Unidos, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar